Saúde Bucal

12/08/2015 10:01 - Atualizado em 18/11/2016 01:24

Halitose: Descubra causas e tratamentos para o mau hálito

Apesar de comum entre a população, o problema não precisa ser um desconforto constante.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Não há quem discorde: mau hálito é um problema muito desagradável. Chamada de halitose, a alteração tem 90% da sua origem na boca. No Brasil, calcula-se que aproximadamente 40% da população sofra com esse problema.

A palavra tem origem no Latim. “Halitu” significa ar expirado e “osi”, alteração. A odontóloga Bruna Picciani, especialista em Estomatologia, doutora em Patologia e membro da Associação Brasileira de Odontologia do Rio de Janeiro, explica que a halitose não é considerada uma doença, mas pode ser um sintoma que indique algum problema de saúde ou alteração fisiológica.

halitose mulher com spray na boca

Conheça as causas da halitose

Segundo a profissional, a causa mais comum é a saburra lingual. Ela consiste numa placa branca ou amarela, que contém restos alimentares e bactérias que se alojam pelas papilas do dorso da língua e digerem esses alimentos, liberando substâncias com odor desagradável, como o gás sulfídrico.

“Existem diversas causas de halitose, sendo as mais comuns higiene oral deficiente, doença periodontal, hipossalivação (baixa produção de saliva), jejum prolongado, estresse, alguns medicamentos, consumo de álcool, diabetes e infecções como amigdalite, faringite e sinusite”, explica Bruna.

Não há outros sintomas. Porém, a halitose prejudica o relacionamento social, gerando um ambiente hostil e de repulsa ao portador. Bruna conta que, infelizmente, na maior parte dos casos, o paciente não percebe a alteração do hálito, dependendo de terceiros para revelar o problema. Já esses, por falta de coragem, demoram a avisar à pessoa.   

Atualmente, existem equipamentos, como o cromatógrafo gasoso, que realizam o diagnóstico da halitose e quantificam a maior parte dos odorivetores (pequenas partículas dispersas no ar que provocam a percepção do odor), estabelecendo a causa.

Como prevenir e tratar o problema

Apesar de a halitose não representar uma doença, pode ser um alerta de que algo está alterado no organismo. Desse modo, é essencial diagnosticar a causa para estabelecer o tratamento adequado.

Confira as recomendações gerais da especialista:

- Consuma dois litros de água por dia, mantendo sempre a boca úmida

- Não faça jejum prolongado

- Mantenha uma boa higiene oral, não esquecendo o fio dental e a limpeza da língua

- Verifique se há alguma alteração sistêmica, principalmente o nível de glicemia.

Bruna alerta que o mais importante é saber que você não precisa conviver com a halitose, pois existem maneiras de tratar e acabar com o problema. “Procure um profissional ou serviço especializado para o correto diagnóstico da causa, estabelecendo adequado tratamento”, finaliza a odontóloga.

Você já conviveu com o mau hálito? Qual foi a maneira encontrada para lidar com o problema e eliminá-lo? Compartilhe com os leitores do Vivo Mais Saudável!

Lembre-se que, se o colega ou amigo está sofrendo com isso, o ideal é conversar de maneira honesta e avisá-lo, possibilitando, assim, que ele procure o tratamento correto para corrigir a condição e ter mais qualidade de vida.

TAGS
mau hálito
saúde bucal
higiene bucal
sintoma

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ