Primeiros Socorros

25/06/2014 09:00 - Atualizado em 02/12/2016 04:25

Socorro ao ataque epilético requer proteção da vítima

Veja dicas de primeiros socorros para casos de ataque epilético.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você certamente já ouviu falar em epilepsia, uma doença neurológica que afeta 50 milhões de pessoas em todo o mundo, 90% delas em países em desenvolvimento. Essas pessoas estão sujeitas ao ataque epilético, que pode levar à perda de consciência e a convulsões. Se você estivesse presente, saberia como ajudar uma vítima? Melhor se prevenir: vamos conhecer agora os sintomas e os primeiros socorros para esses casos.

Por que ocorre o ataque epilético

A epilepsia é uma doença caracterizada por episódios periódicos e transitórios de alterações no estado da consciência. Trata-se de um conjunto de desordens neurológicas que se caracterizam por descargas elétricas anormais dos neurônios. Durante um ataque epilético, o indivíduo pode sofrer movimentos convulsivos. Esse tipo de crise é recorrente em quem sofre de epilepsia, mas pode ser controlado com medicação forte e acompanhamento médico constante.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Como é um ataque epilético

Apesar de existirem variados tipos de crises epiléticas, o grande mal em evidência, geralmente é a perda súbita de consciência. Ela acaba ocasionando a queda desamparada do doente, e em seguida, todos os músculos do corpo acabam sofrendo um espasmo seguido de rigidez. 

O ataque epilético dura em média 10 a 20 segundos, seguido por um período de convulsões com uma duração de dois a três minutos. No período de crise, a vítima de ataque epilético pode até morder a língua, espumar pela boca e urinar de forma espontânea - mas não é sempre que isso acontece. 

Agora que você já sabe que o ataque dura normalmente poucos minutos, é preciso entender que a vítima pode demorar a recobrar a consciência, e permanecer em estado alterado de consciência durante um período em torno de meia hora. Há situações em que o pós ataque epilético segue num período de sonolência, acompanhado da desorientação ao acordar. Podendo ainda, vir acompanhada de dores de cabeça e tonteiras, e que pode persistir durante alguns dias.

Como ajudar em um ataque epilético

Se você notar os sintomas que correspondem a um ataque epilético, precisará saber quais as medidas necessárias para ajudar a vítimas. Por isso, preparamos uma lista com alguns dos principais procedimentos a seguir (e o que você evitar). Confira abaixo: 

- Nunca interfira nas manifestações do ataque epilético, apenas tente deslocar a vítima caso ela esteja em perigo; 

- Procure dar espaço à vítima do ataque epilético e afaste-a de objetos onde ela possa se bater;

- Segure a vítima e ampare-a até chegar ao chão, de preferência coloque-a sob uma superfície macia. Alargue o colarinho, gravata ou colar, se possível;

- Confira se a vítima possui consigo algum cartão que tenha informações para emergência;

- Não introduza nada entre os dentes da vítima, pois ela poderá morder seus dedos e causar-lhe lesões;

- Somente dê o que beber à vítima quando ela estiver plenamente consciente e totalmente controlada;

- Mesmo depois das convulsões nunca deixe a vítima de ataque epilético sozinha, e a coloque na posição lateral de segurança;

- Caso haja alguma lesão, chame um médico ou uma ambulância, faça o mesmo se as convulsões prosseguirem por mais de três minutos, ou a vítima tiver uma sucessão de ataques enquanto estiver inconsciente.

Gostou do artigo ? Deixe sua experiência ou seu comentário!

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ