Primeiros Socorros

13/03/2016 04:00 - Atualizado em 09/12/2016 09:08

Previna-se do micuim e fuja da coceira

Muitos têm pavor de carrapato, mas pode haver um problema ainda menor.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Carrapatos são um grande problema para humanos e animais, mas não apenas quando já estão adultos. É que, durante o desenvolvimento desses pequenos aracnídeos, quando ainda são larvas, eles já são capazes de consumir o sangue humano. Nesse estágio, o carrapato é conhecido como micuim e pode causar vários problemas de pele.

Carrapato ou micuim?

Segundo pesquisadores do Departamento de Entomologia da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, há cerca de 850 espécies de carrapatos em todo o mundo. Eles vão dos quase invisíveis até os que têm o tamanho de uma borracha de lápis. Quase todos passar por quatro fases na vida, ficando maiores à medida que envelhecem.

Esses aracnídeos começam seu ciclo como ovos e, em seguida, transforma-se em larvar minúsculas. Nessa fase, eles são conhecidos como micuins, e medem por volta de 0,7 milímetro. Já se alimentam do sangue de mamíferos, répteis e aves.

mulher coçando o braço por causa de micuim

Nos meses de verão, nos quais o clima é quente e úmido, esse pequeno animal é capaz de ficar escondido em gramas, moitas e capinzais. Ficam à espreita, aguardando a passagem de um hospedeiro para se alimentar. E, acredite, podem esperar bastante tempo.

Uma larva de cervo carrapato, por exemplo, consegue aguardar até cinco meses pela sua refeição antes de morrer de fome ou de desidratação.

Os efeitos do micuim no corpo são coceira intensa e vermelhidão na pele - o que pode se agravar, se não for tratado, e levar a condições mais graves, como eczemas. Para piorar, se o hospedeiro estava infectado com a doença de Lyme, o carrapato pode se tornar um portador dela.

A doença de Lyme é causada por bactérias transmitidas pelo carrapato e pode apresentar sintomas que afetam pele, sistema nervoso, coração e articulações. Outra enfermidade capaz de ser transmitida pelo carrapato é a febre maculosa, que provoca estado febril agudo e sinais como diarreia, náuseas, vômitos e até alucinações.

Como prevenir e tratar

Para prevenir esse tipo de problema, é preciso ter cuidado ao fazer passeios em áreas com vegetação. Embora não tenha capacidade de saltar ou voar, o micuim fica na grama esperando um hospedeiro e, nele, instala-se apenas por contato direto. Em áreas infestadas por carrapatos, a melhor opção é evitar tocar o solo e a vegetação.

Para quem vai fazer algum programa em que esse contato é inevitável, há formas adicionais de proteção. Por exemplo, é válido usar roupas de cor clara para conseguir detectar larvas de carrapato mais facilmente. Opte ainda por sapatos fechados e calças e camisetas de mangas compridas.

Busque verificar suas roupas com frequência, assim como toda a pele que esteja exposta. Considere o uso de repelentes. Para as pessoas que possuem cabelos longos, a melhor dica possível para evitar problemas é amarrá-los para trás.

Caso tenha sido infectado por um micuim, o tratamento é simples. Use álcool na área afetada para acabar com a coceira, ou então um pano limpo molhado com querosene e pomadas à base de dexclofeniramina. Não se esqueça de lavar bem o local com sabão por aproximadamente dez minutos.

Gostou das dicas? Então aproveite e compartilhe o artigo com seus amigos nas redes sociais! E não se esqueça de conferir outras novidades de saúde e bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
carrapato
larva
coceira
vermelhidão

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ