Primeiros Socorros

18/08/2015 05:07 - Atualizado em 03/12/2016 02:22

Picada de vespa causa inchaço e dor: Veja como tratar

Em casos mais severos, a ferroada pode provocar até choque anafilático.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Relatos de picada de vespa em piqueniques e caminhadas por trilhas em bosques ou matas sempre foram comuns. Nas últimas décadas, porém, diante do crescente desmatamento, os insetos passaram também a habitar o meio urbano. Geralmente, são encontrados em locais escondidos, como fendas ou calhas de casas e prédios.

Nas cidades, basta um refrigerante aberto em uma área externa de restaurante para que o incômodo aconteça: as vespas são atraídas pelo açúcar da bebida, e o consumidor, ao tentar afastá-las, acaba por ser vítima do seu temido ferrão.

A incidência dos casos aumenta nos meses mais quentes. É quando o inseto se ressente da ausência de larvas em sua dieta e procura por frutos em fermentação e outros alimentos doces. Devido ao calor, também é o período em que as pessoas se expõem ao ficarem mais tempo fora de casa.

picada de vespa

Causas para o ataque de vespa

A maioria das espécies de vespas não tem comportamento agressivo e oferece pouco perigo. Geralmente, um único indivíduo que se distanciou da colmeia é o responsável pelas picadas.

Insetos sociais apenas atacam em bandos quando se sentem ameaçados. Eles adotam o sistema de defesa baseado no uso do ferrão, que evoluiu geneticamente com o tempo e tem o formato de um dardo. Apenas as fêmeas picam, pois os machos não possuem o aparelho peçonhento.

Diferentemente da abelha, que deixa o ferrão preso na pele da vítima, a vespa pode atacar mais de uma vez. Após a ferroada, a pessoa sente dor aguda, e a região atingida sofre inflamação, provocando também coceira localizada. O local incha e fica avermelhando.

A lesão costuma ter entre um e cinco centímetros. As partes do corpo mais afetadas são braços, pernas, mãos, pés, pescoço e cabeça.

Apesar de extremamente desconfortável, a picada de vespa não provoca grandes danos à saúde. Mesmo sem intervenção medicamentosa, os sintomas tendem a desaparecer em no máximo um ou dois dias. Com tratamento adequado, a dor aguda some em poucas horas e as consequências, também.

picada de vespa pessoa se cocando

Tratamento após picada de vespa

Para aliviar o desconforto e o inchaço, são recomendadas a aplicação de pomadas à base de corticoides ou a ingestão do medicamento via oral. Anti-histamínicos e anti-inflamatórios também são úteis.

Entretanto, nos casos de mais de uma picada de vespa, o paciente desenvolve uma reação maior e os inchaços podem chegar a dez centímetros de diâmetro, demorando mais de uma semana para desaparecer. A grande quantidade de veneno injetada provoca sintomas como vômitos, diarreia, dor de cabeça, febre, confusão mental e prostração.

A única possibilidade para que a vítima corra risco de morte se dá quando ocorrem centenas de ferroadas, com a inoculação de quantidades letais de veneno. Nesses casos, pode haver hemólise (destruição de células sanguíneas), insuficiência renal, arritmias cardíacas e rabdomiólise.

No caso dos alérgicos, os cuidados precisam ser redobrados. Cerca de 3% das vítimas de picada de vespa têm choque anafilático e o funcionamento do organismo fica comprometido. Os sintomas são: angioedema, hipotensão, urticária, vômitos, rouquidão, dificuldade respiratória, desorientação e perda da consciência.

O paciente deve ser imediatamente levado a um hospital e o tratamento é feito com injeção intramuscular de adrenalina.

Que achou do artigo? Conte nos comentários! E aproveite para conferir mais dicas de saúde e primeiros socorros aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
picada de inseto
alergia
choque anafilático
ferroada

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ