Primeiros Socorros

08/07/2014 08:00 - Atualizado em 10/12/2016 12:29

O que fazer diante de uma pessoa em convulsão? Confira dicas de primeiros socorros

Crise de convulsão merece atenção e cuidado no atendimento.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A convulsão é o tipo mais intenso de crise epiléptica, na qual a pessoa perde a consciência, desmaiando e não podendo responder aos estímulos externos. Quem sofre uma convulsão costuma cair no chão e se debater. Ela ocorre após um episódio de atividade elétrica anormal no cérebro.

Causas da convulsão

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Existe uma grande quantidade de possíveis causas para a convulsão, entre elas: epilepsia (condição na qual a pessoa tem crises convulsivas recorrentes); níveis anormais de sódio ou glicose no sangue; asfixia; abuso de drogas; infecção cerebral (incluindo meningite); problemas cerebrais congênitos, que se formam antes do nascimento; lesão cerebral no bebê ao nascer; febre (especialmente em crianças pequenas); doença cardíaca; nível baixo de açúcar no sangue; envenenamento; derrame; tumor cerebral; toxemia de gestação; hipertensão maligna; picadas de animais peçonhentos e abstinência de álcool e drogas após vários dias de excesso.

O que fazer em caso de convulsão

É importante que a vítima de uma convulsão receba a ajuda necessária. Em primeiro lugar, mantenha a calma. Uma crise convulsiva não costuma ultrapassar cinco minutos e os cuidados a serem tomados são poucos e fáceis. Portanto, não se preocupe em abortar a crise, e sim em proteger a pessoa.

Proteja a queda

Se você reparar que uma pessoa começa a apresentar contrações musculares vigorosas, esse é um forte indício de que está perdendo a consciência devido a uma convulsão. Então preocupe-se primeiramente em protegê-la da queda. Cuide especialmente para não haver traumas na cabeça. Mas faça tudo com suavidade, evite usar força excessiva para segurar ou carregar a pessoa.

Vias respiratórias

Pode acontecer de o paciente ter dificuldades para respirar durante a convulsão. Se ele parece ofegante ou tem a pele arroxeada, provavelmente isso está acontecendo. Verifique se as vias aéreas estão obstruídas: isso pode acontecer devido ao acúmulo de saliva e sangue dentro da boca.

Deitar de lado

Muita gente pensa que o maior risco para uma pessoa que teve uma crise convulsiva é que ela enrole a língua. Na verdade isso é anatomicamente impossível. O que pode acontecer é que a base da língua , devido ao seu peso, caia e obstrua as vias respiratórias – e, como a pessoa está inconsciente, não evita isso –, mas isso não quer dizer que ela está “enrolada”. A única coisa que você precisa fazer, nesse caso, é virar o paciente para o lado.

Ajuda médica

Passado o susto, converse com a pessoa e veja se essa foi a sua primeira crise convulsiva. Se a resposta é sim, deve ser conduzida para uma unidade de pronto atendimento para avaliar a situação e realizar exames. Caso isso já seja normal, aí o tratamento posterior vai depender da orientação do médico que o acompanha.

O que não fazer em caso de convulsão

Esse mito de que a língua enrola costuma levar as pessoas a tomarem atitudes equivocadas, como introduzir a mão dentro da cavidade bucal para puxar a língua. Isso pode ser bastante perigoso, uma vez que a vítima pode, involuntariamente, morder a sua mão com muita força. Essa atitude ainda pode originar uma infecção de um para o outro, pois haverá mistura de sangue e saliva.

Também não devem ser introduzidos objetos como canetas para o mesmo fim, pois a pessoa poderá ter sérias lesões dentárias e gengivais, já que a mordida associada à convulsão é muito forte. Fragmentos da caneta quebrada pelos dentes, por exemplo, poderiam entrar nas vias aéreas e complicar mais ainda a situação. Além disso, não se deve, em hipótese alguma, tentar dar medicamentos à pessoa.

Gostou do texto ? Deixe seu comentário. 

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ