Primeiros Socorros

29/08/2014 07:30 - Atualizado em 03/12/2016 10:00

Identifique os sintomas da desidratação aguda e veja como socorrer

Saiba o que fazer para tratar casos de desidratação aguda de forma rápida e segura.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A desidratação aguda é um quadro clínico crítico que vitima milhares de crianças todo ano, principalmente em países em desenvolvimento. Ela é resultado de uma perda considerável de água e eletrólitos.

Principalmente para que tem filhos pequenos, é importante ter toda a atenção para esse problema que, normalmente, é mais grave quanto menor a idade da criança atingida. Ao menor sinal de algum dos sintomas deve ser procurada a ajuda médica especializada. Conheça alguns sintomas e tratamento para esta condição grave.

desidratacao-aguda

Principais causas da desidratação aguda

A desidratação é causada pela falta de uma reposição adequada à quantidade de água que perdemos por meio da respiração, do suor, da urina, das fezes e das lágrimas. Caso a pessoa não ingerir quantidade suficiente de líquido, o quadro pode se agravar. Pacientes que apresentam vômitos e diarreia tendem a ter a evolução do quadro para uma desidratação aguda, e precisam de um acompanhamento médico.

As crianças costumam estar mais expostas a essa condição, pois costumam se recusar a ingerir qualquer tipo de líquido que seja oferecido a elas quando sofrem casos de diarreia e vômitos, o que pode agravar ainda mais a situação delas.

Sintomas da desidratação

Em casos de desidratação mais leve, os sinais apresentados são uma sede exagerada e incessante, a pele e a boca secas, olhos fundos e uma produção muito pequena de lágrimas. Nos bebês, a moleira afundada pode ser um dos sintomas. Se você sente muita dor de cabeça, sonolência, fraqueza, cansaço e o coração batendo mais rápido, também pode estar desidratado.

A desidratação aguda se dá tanto pelo agravamento destes sintomas quanto pelo aparecimento de alguns outros, como queda de pressão arterial, perda de consciência, coma, convulsões e, em casos extremos, pode levar a falência múltipla dos órgãos, causando o óbito do paciente.

Tratamento da desidratação aguda

Nos seis primeiros meses de vida, a desidratação aguda é mais perigosa. Neste período o principal recurso de tratamento da doença é a ingestão de leite materno. Ele possui todos os nutrientes que o bebê necessita para se reidratar e para que o organismo volte a reestabelecer suas funções normais.

Nas fases posteriores da vida, a principal forma de combate à desidratação é beber bastante água, de preferência dois litros por dia. A água deve ser filtrada ou fervida e bebida em pequenos goles que devem ser ingeridos em intervalos curtos para que o efeito seja potencializado no organismo. É importante que a pessoa se mantenha em um ambiente com temperatura amena para que ela não elimine uma quantidade muito alta de líquido por meio do suor.

Primeiros socorros

Na desidratação aguda, que pode ocorrer de forma repentina, o principal tratamento é a ingestão de um soro oral, que é distribuído gratuitamente nos postos de saúde pelo Ministério da Saúde. Recomenda-se uma visita urgente a uma unidade de pronto-socorro, a fim de diagnosticar e resolver o problema.

Instruções do Ministério da Saúde para o soro:

Soro caseiro

- Encha um copo de 200ml com água potável

- Coloque uma medida (da menor das conchas da colher-padrão) rasa de sal 

- Adicione 2 medidas (da maior das conchas da colher-padrão) rasas de açúcar.

O soro caseiro repõe, além do líquido, alguns dos minerais que o organismo acaba perdendo pelo efeito dos sintomas. 

Casos extremos necessitam de um tratamento intravenoso de reposição das substâncias que o corpo perdeu e precisam de internação.

TAGS
desidratação aguda
água
hidratação

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ