Primeiros Socorros

14/07/2014 10:00 - Atualizado em 03/12/2016 04:14

Dicas de primeiros socorros: quando e como devemos agir diante de um acidente

Prestar os primeiros socorros em uma situação de emergência é dever de todo cidadão. Saiba como fazer!

POR

Redação

  • +A
  • -A

Os primeiros socorros são descritos como procedimentos imediatos e imprescindíveis, adotados em atenção a vítimas de acidentes antes da chegada de atendimento médico especializado na cena.

Primeiros socorros fazem a diferença

primeiros-socorros

Foto: Shutterstock

Por vezes, medidas simples podem influenciar direta e decisivamente na recuperação da vítima, fazendo diferença entre a vida e a morte dela, ou auxiliando a reduzir sequelas posteriores. Dessa forma, com técnicas de primeiros socorros, mesmo um leigo pode ajudar a salvar vidas.

Mas e você? Sabe quando e como agir no socorro a uma vítima em um acidente? O fundamental a saber, nestes casos, é que situações de emergência exigem que se mantenha a calma. Você estará na cena para auxiliar e prestar os primeiros socorros. Seu papel é importante, claro, mas não elimina a importância e a necessidade de um médico se fazer presente.

Segurança nos primeiros socorros

A primeira conduta é preocupar-se com a própria segurança. Ou seja, você deve se certificar de que há condições seguras o suficiente para que os primeiros socorros sejam oferecidos sem gerar riscos à sua própria integridade física.

Se, por um lado, um atendimento de emergência inadequado pode comprometer ainda mais a saúde da vítima, se ele for inseguro, pode resultar em uma vítima a mais no cenário: você mesmo.

Obrigação de realizar os primeiros socorros

Se você avaliou que a cena está segura, não hesite em socorrer a vítima e jamais negligencie os cuidados que pode oferecer e que aquela pessoa está necessitando. Ao agir de forma contrária, além de prejudicar uma vida, você ainda estará sujeito à detenção de um a seis meses, conforme estabelece a legislação brasileira.

Sobre ações de primeiros socorros, o Código Penal Brasileiro é bastante claro. Em seu artigo 135, ele prevê o seguinte: deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública.

Condutas nos primeiros socorros

Ao abordar a vítima, tenha em mente que sua ação poderá ajudá-la ou, por outro lado, contribuir para o agravamento de suas lesões - e esta diferença não é suficientemente clara para um socorrista leigo.

Nos casos mais graves, como atropelamentos ou acidentes de trânsito com vítimas presas nas ferragens, o recomendado é acionar o serviço de atendimento pré-hospitalar, que no Brasil é oferecido pelo SAMU (192) e Corpo de Bombeiros (193). 

Ao tocar na vítima, tenha muito cuidado, pois pode ter ocorrido uma lesão cervical e, assim, qualquer movimento pode ser muito perigoso para tornar o quadro irreversível. Dessa forma, caso a vítima esteja caída de bruços, é recomendável não mexer nela, muito menos tentar virá-la.

Sempre que possível, converse com a vítima, procure tranquilizá-la de que o socorro especializado está a caminho e veja no que pode ajudar. Uma palavra de conforto também é uma forma de prestar primeiros socorros com qualidade.

Caso você se depare com uma vítima inconsciente e sem trauma aparente (ou seja, não há um acidente claro no local), ela pode ter sofrido um ataque cardíaco, sendo necessário aplicar compressões sobre o peito depois de acionar o serviço de urgência.

Você já passou por alguma situação em que teve que socorrer alguém? O que houve durante o acontecimento? Quais foram as suas atitudes?

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ