Primeiros Socorros

19/06/2014 09:00 - Atualizado em 05/12/2016 10:39

Como ajudar criança que sofre com terror noturno

Terror noturno é um misterioso transtorno do sono.

POR

Redação

  • +A
  • -A

É bastante comum crianças pequenas terem dificuldade para dormir por causa do terror noturno. Esse é um transtorno do sono misterioso e ocorre em uma fase em que a criança dorme profundamente, mas não sonha.

Causas do terror noturno

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

A causa do terror noturno é desconhecida, mas a hipótese mais aceita é que tenha a ver com o desenvolvimento do sistema nervoso central, como se ele não estivesse suficientemente maduro ainda e, assim, a criança fica numa espécie de “limbo” entre dormir e acordar. Essa condição acomete principalmente crianças de 2 a 3 anos de idade.

Durante uma crise de terror noturno, a criança fica muito agitada, assustada e confusa. Ela pode chorar, gritar e se debater. Estará dormindo, mesmo que mantenha os olhos abertos, ou seja, não terá consciência do que acontece. Essas crises duram geralmente de 10 a 15 minutos. Depois, ela volta a dormir.

Terror noturno não é pesadelo

É geralmente durante o fim da madrugada, durante o período REM (movimento rápido dos olhos) que os sonhos acontecem. O terror noturno, por sua vez, costuma acontecer na primeira metade da noite, antes do REM. Depois de um pesadelo, a criança costuma acordar, enquanto depois da crise de terror noturno ela volta a dormir. Além disso, os pequenos costumam se lembrar que tiveram um sonho ruim, mas nunca se recordam de gritar e se debater no caso de terror noturno.

O que fazer em caso de terror noturno

Se o seu filho está em uma crise de terror noturno, não faça nada. Isso pode ser bastante agoniante para um pai ou mãe, pois parece que a criança sofre e está muito assustada. Mas especialistas afirmam que é melhor não tentar acordá-la e não fazer nada. Apenas interfira se houver o risco de seu filho se machucar. Em no máximo 20 minutos, ele deverá se acalmar e voltar a dormir. Fique ciente de que esse é um problema normal e, na maioria dos casos, não há maiores implicações.

Como evitar o terror noturno

Você pode tomar algumas medidas que diminuem a chance de seu filho sofrer de terror noturno. Primeiro, verifique se ele tem dormido o suficiente. Crianças cansadas têm maior tendência a passar por essas crises. Portanto, se não houver a necessidade de acordar cedo, deixe-o dormir por mais tempo de manhã, prolongue a soneca da tarde e reduza o estresse de sua rotina. Coloque-o na cama mais cedo à noite e, nesse momento, conte uma historinha, certifique-se de que ele vai dormir bem calmo.

Para evitar o terror noturno, você também pode acordar a criança uma ou duas horas depois de ela ter adormecido, cerca de 20 minutos antes do horário no qual as crises costumam acontecer. Essa prática, no entanto, não é muito recomendada, pois alterará o padrão de sono do seu filho.

Em último caso, utilize estratégias de coping (enfrentamento) ou procure um serviço de psicoterapia ou aconselhamento.

Existe a possibilidade de um caso de terror noturno ser grave, mas é bastante raro isso acontecer. Algumas crianças têm dois ou três episódios por noite e, por isso, começam a apresentar sintomas de privação de sono. De dia, podem ter febre, sonolência e irritação, ficando mais vulneráveis a doenças. Se isso acontecer, ajuda médica deve ser procurada.

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ