Primeiros Socorros

04/02/2015 03:40 - Atualizado em 07/12/2016 06:46

Aprenda o que fazer em caso de queimadura por água viva

Agir de maneira correta garante a neutralização do veneno e ameniza a dor causada pela água viva.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Verão é época de bem-estar, sol, mar e calor, mas é preciso estar atento aos perigos que envolvem a estação. Um dos mais recorrentes é quando você encontra uma água viva. Para evitar que seu período de descanso vire um pesadelo, saiba o que fazer em caso de acidente com esse animal marinho.

agua viva

O que é a água viva?

A água viva é um animal gelatinoso e peçonhento. É nos tentáculos do bicho que ficam os nematocistos, células que expelem o temível líquido venenoso. Ele pode causar de irritações severas à paralisia do sistema nervoso central. As sensações variam de acordo com a espécie.

Se a água viva for do tipo envolvente, ela se enrola no pelos da pele. Com a reação de coçar o local, estoura-se uma bolsa na qual se encontra o liquido peçonhento, ocasionando o acidente. Se for do tipo penetrante, o veneno é disparado com muita força sobre a pele, causando lesões.

É no verão que ocorrem mais acidentes com água viva, pois essa é a época da reprodução desses animais. Eventualmente, uma corrente marinha pode trazer um aglomerado de machos e fêmeas para próximo das praias, o que possibilita um número maior de incidentes com banhistas.

O que fazer em um acidente com água viva

Para cessar a dor intensa causada por uma queimadura de água viva, muitos podem tomar atitudes que agravem ainda mais a situação. Por esse motivo, é necessário manter a calma e seguir um protocolo simples.

De acordo com Marcelo Szpilman, diretor do Instituto Ecológico Aqualung, a primeira atitude a tomar é sair da água e lavar o local com água do mar. Nunca utilize água da torneira ou qualquer outro líquido, nem tente tirar os tentáculos esfregando qualquer material.

Depois, por dez minutos, lave o local afetado com vinagre e, passado esse período, comece a tirar os tentáculos cuidadosamente com uma pinça.

Banhe a pele irritada com água do mar novamente e, por cerca de 30 minutos, lave com vinagre. A função do vinagre não é aliviar a dor, mas desativar a descarga de veneno. Para diminuir a sensação dolorosa, o recomendado são analgésicos ou corticoides. Bolsas de gelo também ajudam sensivelmente como anestésico.

Muitos, na hora da dor, seguem conselhos de pessoas que querem ajudar a vítima, porém sabem pouco ou nada sobre esse tipo de acidente. Sem comprovação cientifica, incentivam até o uso de urina no local, o que não é recomendado.

Outra recomendação é nunca usar qualquer tipo de solução alcoólica na região. Isso porque o álcool pode aumentar a descarga de veneno e, obviamente, a dor.

Casos mais graves

É possível que a vítima, ao ser retirada do mar, esteja se debatendo e fique calma repentinamente. Essa mudança pode alertar para uma disfunção do sistema nervoso central, causada pelo nível de veneno na corrente sanguínea.

É necessário, sempre que possível, buscar auxílio médico ou de um profissional de saúde. Nos casos mais graves, o acidente com a água viva pode requerer uma assistência intensiva que inclua reanimação cardiopulmonar e auxílio para respirar.

Em caso de queimaduras, siga rigorosamente as orientações. Mesmo que, aparentemente, elas não apresentem nenhum risco, consulte um médico o quanto antes.

Gostou das dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
queimadura
praia
animal peçonhento
cuidados

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ