Mulher

21/02/2016 12:00 - Atualizado em 02/12/2016 08:36

Tenha calma! Cisto na mama pode ser benigno

O autoexame ajuda a identificar alterações na mama da mulher.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Uma mulher que se depara pela primeira vez com um cisto na mama provavelmente fica assustada, cogitando a possibilidade de ele ser maligno. Na maioria dos casos, porém, os nódulos mamários são alterações que não comprometem a saúde.

Eles surgem próximo ao período menstrual, sob a forma de um pequeno caroço, e são mais comuns em mulheres entre 40 e 50 anos. Os cistos consistem em um acúmulo de líquido, provocado pela dilatação dos ductos mamários, que provoca uma maior sensibilidade ou até dor localizada.

mulher com cisto na mama e fita rosa da campanha contra o câncer

Cisto na mama pode ser câncer?

Um cisto na mama, quando composto por líquido, não se transforma em câncer e nem aumenta a chance do seu surgimento. Só há risco quando os caroços encontrados são compostos por um conteúdo sólido, podendo caracterizar carcinoma papilífero intracístico.

Para avaliar corretamente cada caso, a mulher deve se submeter a uma ultrassonografia e à mamografia, cujos resultados serão analisados por um médico.

Um cisto na mama benigno pode ser removido por meio da punção de uma agulha fina, evacuando o líquido. Recomenda-se a mulheres com cistos mais espessos um acompanhamento mais frequente, com ultrassonografia mamária a cada seis meses.

Cistos benignos de conteúdo sólido também podem ser removidos por meio da técnica de punção, ou então com uma biópsia de agulha grossa. Quando muito grandes, podem necessitar de um procedimento cirúrgico para a sua total remoção.

Mesmo que as chances de um cisto na mama ser maligno não sejam altas, convém ter cuidado. O câncer no seio é o tipo de tumor que mais atinge as mulheres brasileiras. Segundo estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca), em 2014 e 2015, dos 576 mil novos casos da doença no Brasil, 57.120 correspondem à de mama.

A importância do autoexame

As chances de cura são muito maiores (95%) quando o tumor é detectado ainda na fase inicial, com menos de 1 centímetro. Como um nódulo tão pequeno é difícil de ser detectado pelo autoexame de mama, a recomendação é que mulheres com mais de 40 anos façam pelo menos uma mamografia por ano.

Entre uma mamografia e outra, porém, não quer dizer que o autoexame seja inútil. Pelo contrário, sua importância para detectar cistos malignos, mesmo que tenham mais de 1 centímetro de diâmetro, é enorme.

Mulheres acima dos 20 anos, especialmente quando têm na família um histórico de pessoas com tumores, devem fazer o autoexame pelo menos uma vez por mês, de preferência logo após a menstruação. Veja as dicas do Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC) e saiba como realizar o procedimento:

No chuveiro ou deitada

Coloque a mão direita atrás da cabeça. Deslize os dedos indicador, médio e anelar da mão esquerda suavemente em movimentos circulares por toda a mama direita. Repita o movimento utilizando a mão direta para examinar a mama esquerda.

Diante do espelho

Inspecione suas mamas com os braços abaixados ao longo do corpo. Levante-os, colocando as mãos na cabeça. Observe se ocorre alguma mudança no contorno das mamas ou no bico. Repita a observação, colocando as mãos na cintura e apertando-a; verifique se há qualquer alteração.

Finalmente, esprema o mamilo delicadamente e observe se sai qualquer secreção. Alterações cutâneas ou no bico do seio, nódulos ou espessamentos e secreções mamárias não significam necessariamente a existência de câncer.

Se você gostou do artigo, deixe um comentário abaixo e contribua para a troca de ideias! E não se esqueça de conferir outras dicas de saúde aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
autoexame
câncer de mama
nódulo mamário
mamografia

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ