Mulher

29/10/2014 05:05 - Atualizado em 28/11/2016 10:58

Saiba por que você deve evitar o cigarro na gestação

Chance de má formação do bebê é uma das razões para se manter longe do cigarro na gestação.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A gravidez é um dos momentos mais lindos na vida de uma mulher. É tamanha dedicação e carinho envolvidos, que todos os sacrifícios são feitos em prol do bebezinho lindo que virá pela frente. Um deles está entre os mais importantes: deixar de fumar.

O cigarro na gestação é um perigo para o bebê, que pode nascer com uma série de sequelas devido as dezenas de substâncias tóxicas contidas no cigarro. Então, confira a seguir os principais motivos para você manter-se longe desse vício.

cigarro-na-gestacao

Razões para evitar o cigarro na gestação

De acordo com ginecologistas, a formação do feto se dá entre a segunda e 12ª semana de gravidez e é justamente nesse período que ocorre uma intensa multiplicação de células, que podem, inclusive, causar malformações no bebê. Fumar neste período aumenta o risco de problemas durante a gestação e também no pós-parto.

Se levarmos em conta que a descoberta da gravidez acontece até as primeiras quatro semanas, muitas mulheres chegam a ficar um terço do período de formação do bebê fumando, sem saber que cada cigarro pode ser extremante prejudicial a ela e ao feto.

Quando a mulher usa cigarro na gestação, aumenta consideravelmente o risco de aborto e de outras complicações, como a acomodação correta da placenta dentro do útero, além de sangramentos de origem variada. O fumo também prejudica a oxigenação do feto e a distribuição de nutrientes para sua formação.

Quando a futura mamãe fuma, todo o monóxido de carbono vai parar na hemoglobina, que transporta o oxigênio pelo sangue até chegar ao cordão umbilical, que é a principal comunicação entre mãe e bebê.

Estratégia para eliminar cigarro na gestação

O ideal seria que a mulher planejasse sua gravidez e, três meses antes de parar com a pílula anticoncepcional, buscasse seu médico de referência para pedir exames e ver se está tudo certo com sua saúde. E, assim que decidir engravidar, parar com o uso de toda e qualquer substância química, inclusive o cigarro.

Parar abruptamente é mais indicado do que ir reduzindo a dose de cigarros, pois mesmo que haja diminuição, ainda haverá monóxido de carbono e nicotina circulando pelo sangue de mãe e filho. E ale lembrar: assim, os riscos continuam.

Se você engravidou sem que houvesse planejamento e continuou fumando por não saber que estava grávida, não entre em pânico. Converse com seu médico e discuta com ele o que pode ser feito.

Mas de maneira geral, todos os males do cigarro na gestação terminam assim que a mulher parar com o fumo. Especialistas explicam que, para a maioria das substâncias tóxicas, a interrupção é eficaz para prevenir a má formação do feto.

Prevenção é melhor escolha

Se você pensa que os efeitos do cigarro na gestação terminam assim que o bebê nasce, pode esquecer essa ideia. Os impactos negativos continuam mesmo após o nascimento. O fumo materno é considerado também a principal causa evitável de morte súbita do bebê.

Quer mais um argumento? Filhos de mães fumantes durante a gravidez nascem, em média, meio quilo a menos do que as mulheres que não fumaram na gestação.

E aí, decidida a abandonar de vez o cigarro na gestação? Então deixe um comentário! E não esqueça de acompanhar nossa página no Facebook para receber todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
cigarro
gestação
riscos ao bebê
tabagismo

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ