Mulher

21/03/2015 12:21 - Atualizado em 28/11/2016 02:57

Programe-se para ser mãe com o congelamento de embriões

Congelar os embriões é opção para quem deseja adiar a gestação para o momento certo.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Organizar a carreira antes da maternidade tem sido a prioridade de muitas mulheres, e a medicina vem auxiliando quem deseja se estabilizar antes de ser mãe. O congelamento de embriões é mais uma entre as diversas opções para ter filhos mais tarde.

De acordo com o Ministério da Saúde, 30% das mulheres brasileiras esperam para ter o primeiro filho depois dos 30 anos. Os motivos são carreira, formação profissional e estabilidade financeira.

Óvulos e embriões congelados são uma forma de garantir que a mulher realize seus sonhos e consiga administrar a vida de forma mais tranquila. Saiba mais sobre o congelamento de embriões e como fazer o procedimento.

congelamento de embrioes

Congelamento de embriões tem prazo

No que se trata de fertilidade feminina, o tempo é muito importante. A partir dos 35 anos de idade, os óvulos perdem qualidade e a reserva ovariana vai diminuindo aos poucos. Depois dos 40, as funções reprodutivas trabalham com apenas 8% do que a mulher um dia já funcionou.

Por isso, os especialistas recomendam o congelamento de embriões, bem como o de óvulos, antes dessa idade. Dessa forma, as chances de sucesso da gestação são maiores e a possibilidade de doenças genéticas é menor. Ainda assim, é possível congelar após os 35, sendo provável mais de uma coleta em função dos poucos óvulos.

Apesar dos prazos para retirada do embrião ou do óvulo, o congelamento não tem validade, podendo ser aproveitado quando a paciente preferir. As restrições servem mais para a hora de fertilizar a mulher. De acordo com normas do Conselho Federal de Medicina, somente é possível realizar a fertilização in vitro antes dos 50 anos de idade.

Essa regra, que entrou em vigor em 2013, tem o objetivo de prevenir os riscos de complicações comuns na gravidez em que a idade da mãe é avançada. Malformação do feto e abortos espontâneos são mais frequentes em mulheres que esperam muito tempo para engravidar.

Apesar de o embrião permanecer jovem e passar por uma avaliação antes de ser inseminado, a idade da mulher ainda deve ser levada em conta.

No que consiste o congelamento de embriões?

O congelamento de embriões tem um processo diferente do congelamento de óvulos. No primeiro caso, o produto a ser congelado resulta da fertilização in vitro, unindo óvulo e espermatozoide previamente.

O embrião é fruto da fecundação do gameta feminino pelo masculino. A menos que seja fecundado o óvulo com esperma de um doador anônimo, é o casal que autoriza o descongelamento em conjunto.

Quando se quer congelar apenas os óvulos, o processo é realizado somente com o gameta feminino, que pode ser aproveitado quando a mãe achar conveniente.

Dez dias antes do procedimento de retirada dos óvulos, a mulher começa a tomar medicamentos para estimular o crescimento dos folículos do ovário. Depois, ocorre a retirada do material por meio de uma cirurgia com uso de anestesia local.

Os óvulos são capturados e encaminhados ao laboratório para avaliação e fecundação, no caso de congelamento de embriões. Em geral, o processo dura duas horas e não provoca dor. O preço médio fica entre 6 mil e 10 mil reais, exceto em casos de sobreviventes de câncer, quando pode ser gratuito.

Gostou das dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
gravidez
fertilização
carreira
gestação tardia

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ