Mulher

24/03/2015 03:04 - Atualizado em 05/12/2016 01:04

Ooforectomia: Entenda a cirurgia feita por Angelina Jolie

O procedimento que consiste na retirada dos ovários pode ser feito como forma de prevenção do câncer.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Depois de se submeter a uma dupla mastectomia para evitar o risco de desenvolver câncer nos seios, agora Angelina Jolie retirou os ovários e as trompas, também como método preventivo. Essa cirurgia é chamada de ooforectomia e traz algumas consequências, como a menopausa precoce.

O procedimento exige alguns cuidados pós-operatórios, além da adaptação com as mudanças no organismo e a preparação física e emocional da mulher. No entanto, com o acompanhamento adequado, é possível passar pelo processo sem complicações e conseguir a prevenção de futuras doenças.

ooforectomia

Como funciona a ooforectomia

Dois anos depois de retirar os seios como prevenção do câncer de mama, a atriz e cineasta norte-americana Angelina Jolie realizou uma ooforectomia preventiva, removendo os ovários e as trompas de Falópio. O procedimento é menos complexo que a mastectomia, mas seus efeitos são mais graves, pois a mulher desenvolve a menopausa precocemente.

A atriz explica que tomou a decisão de se submeter às cirurgias preventivas porque possui uma mutação no gene BRCA1, que representa um risco de 87% de desenvolver câncer de mama e de 50% de câncer de ovário. Além disso, a mãe, a avó e uma tia de Angelina morreram devido ao câncer.

A ooforectomia pode ser realizada de duas formas, retirando um ou ambos os ovários (uni ou bilateral). Como esses órgãos possuem grande chance de desenvolver tumores, essa é uma das principais causas para a indicação da cirurgia.

O procedimento também pode ser recomendado em casos de câncer de mama, com o objetivo de eliminar a fonte de produção dos hormônios, pois seus efeitos podem agravar a evolução do tumor mamário. Como na situação de Angelina Jolie, a retirada dos ovários pode ser feita como forma de prevenção de doenças.

Cuidados e contraindicações da ooforectomia

A retirada dos ovários causa algumas alterações hormonais, podendo provocar a menopausa precoce. As complicações graves decorrentes da ooforectomia são raras, mas existem riscos de surgimento de Parkinson, osteoporose, diminuição do bem-estar psicológico e declínio da função sexual.

Para reverter as possíveis alterações causadas pela cirurgia, as mulheres podem recorrer à terapia de reposição hormonal, utilizando estrogênio, testosterona, progesterona ou uma combinação deles.

A ooforectomia não deve ser realizada de maneira indiscriminada e sem a indicação de um médico. A retirada dos ovários e a falta da produção dos hormônios interrompe a menstruação e causa diversas alterações físicas e emocionais no organismo da mulher. Por isso, jovens só devem realizar a cirurgia em situações graves de doença.

Como forma de prevenção de males que possam exigir a retirada dos ovários, é indicado tomar alguns cuidados com a saúde. Além de manter uma alimentação saudável e ter relações sexuais com proteção, todas as mulheres devem se submeter a exames preventivos do aparelho reprodutor, incluindo as mamas, pelo menos uma vez por ano.

Gostou das dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
cirurgia preventiva
ovários
trompas
BRCA1

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ