Mulher

15/10/2014 06:59 - Atualizado em 04/12/2016 10:34

Mastectomia preventiva: Quando retirar os seios é opção

Angelina Jolie recorreu à mastectomia preventiva para após avaliação genética.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A mastectomia preventiva ganhou as capas de revistas e espaços nos telejornais ao redor do mundo quando a atriz americana Angelina Jolie anunciou que se submeteria a ela. Até então pouco conhecida e utilizada, essa cirurgia é um método radical de impedir o desenvolvimento do câncer de mama, mas é também muito eficaz e, por isso, procurada por mulheres que correm risco de desenvolver a doença.

O nome do procedimento é composto por duas palavras. Mastectomia é a intervenção cirúrgica que retira completa as glândulas mamárias de uma mulher. Ela pode ser recomendada para diversos casos de câncer nos seios, mas essa versão específica da cirurgia ganha uma característica diferente - a prevenção. Esse tratamento é realizado em mulheres que não possuem o câncer, mas que tem predisposição genética para a doença.

mastectomia-preventiva

Quem pode fazer a mastectomia preventiva

Por se tratar de uma cirurgia extrema e de resultados irreversíveis, a mastectomia preventiva não pode ser aplicada em todas as mulheres que desejam evitar o desenvolvimento dos tumores. Existem alguns casos específicos que devem ser submetidos ao procedimento - aqueles em que a pessoa possui uma propensão genética direta.

Assim, o histórico familiar é essencial para a avaliação. “É importante conhecer os casos de doença na família e, se houver três casos de câncer ou algum episódio em idade jovem, com menos de 45 anos, é interessante que a pessoa faça uma avaliação”, explica o oncogeneticista José Cláudio Casali. Mas existem outras variações da influência genética que também valem a cirurgia. Se ambos os pais ou um deles e um irmão da pessoa possuem a doença, o procedimento também se justifica.

Casos de câncer nos ovários em parentes de até terceiro grau também podem ser indicativos de possível caso de câncer de mama e podem ser motivadores da realização da mastectomia preventiva. Para saber definir o grau de parentesco com a pessoa que desenvolveu a doença em sua família, entenda: parentes de primeiro grau são os pais; de segundo, os irmãos e avós; de terceiro, os tios e os bisavós.

mastectomia-preventiva

Como optar pela mastectomia preventiva

Decidir-se pela mastectomia preventiva é um processo que ocorre com o auxílio de um mastologista, que estuda as doenças da mama, e um oncogeneticista, que fica responsável pela detecção da predisposição genética.

Essa constatação genética se dá através de um exame que analisa os genes BRCA 1 e 2, procurando por defeitos. Angelina Jolie possui falha no BRCA 1, além de ter perdido a mãe e a avó em decorrência da doença. 

mastectomia-preventivaOs exames da atriz apontaram uma propensão de 87% para o surgimento de tumores nas mamas, o que levou a atriz a optar pela realização da cirurgia. Então, se você passar pelo exame e os indicativos apontarem possibilidades altas como as de Angelina, leve-os imediatamente ao seu médico.

Uma vez entendido que seu caso é digno da cirurgia, é hora de pensar nos outros detalhes que a envolvem. O principal deles é a maternidade. A mulher só pode passar pela intervenção cirúrgica se já possui todos os filhos que gostaria de ter, já que a retirada das glândulas mamárias e seus dutos impedem a existência de qualquer possibilidade de amamentação da criança.

Os resultados da mastectomia preventiva podem ser bastante impactantes para as mulheres, que ficam sem seios, mas a cirurgia em si é simples. “Normalmente o pós-operatório é pouco complicado, com pouca dor e restabelecimento das atividades normais em até 2 semanas”, diz Guilherme Novitta, médico e membro da Sociedade Brasileira de Mastologia.

A reconstituição do seio pode ser feita através da colocação de próteses de silicone, já que a pele e os mamilos se mantêm intactos. Essa é a opção mais segura e com melhor garantia de resultados estéticos, não à toa escolhida por Angelia Jolie. É importante ressaltar que a mastectomia, quando realizada antes do surgimento do câncer, reduz em 90% as chances de que a doença se desenvolva.

E você, já considerou a possibilidade de uma cirurgia preventiva como essa? Participe do nosso debate sobre o tema no Facebook.

TAGS
mastectomia
câncer de mama
saúde

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ