Mulher

29/03/2015 01:23 - Atualizado em 30/11/2016 02:52

Magreza excessiva das modelos gera polêmica

Perigos da magreza excessiva podem interferir na profissão e na qualidade de vida.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Qual o limite do peso corporal? Magreza excessiva é padrão de beleza? Nas passarelas, é comum ver modelos magérrimas desfilando, mas nem sempre a moda dita um comportamento aceitável. É por isso que medidas de saúde estão, inclusive, proibindo que meninas sejam muito magras para exercer a profissão.

Na França, por exemplo, uma nova lei multará agências de modelo por contratarem ou exigirem magreza excessiva das meninas em seu catálogo. Da mesma forma, países como Israel, Espanha e Itália já tomaram medidas para combater esse problema. Quer saber por que ser magra demais é um problema? Conheça os riscos para o corpo e o cérebro.

magreza excessiva

Por que é perigoso cultuar a magreza excessiva?

As modelos, de uma forma ou outra, são tomadas como um exemplo para a beleza. Jornais, revistas e publicidade mostram essas garotas como o padrão para ser bonita. Se forem magras demais, é assim que outras jovens desejarão ser, o que pode causar frustração e casos depressivos.

Por isso, as medidas de alguns países buscam mostrar a necessidade de uma boa alimentação e de cuidados com a saúde para a boa visibilidade da indústria estética. As normas de peso e estatura que as modelos inspiram são motivo de preocupação dos governos, e estão sendo estudados meios de combater essa “ditadura”.

No projeto de lei francês, por exemplo, a contratação das agências deve providenciar pesagens periódicas, avaliação do Índice de Massa Corporal (IMC) constantemente, além de multas de 75 mil euros para quem viole a legislação.

As modelos precisam também apresentar certificado médico que mostre um peso e medidas mínimas para exercer a profissão, antes e depois de cada trabalho.

De forma patológica, a magreza excessiva é conhecida por anorexia. Na França, cerca de 40 mil pessoas sofrem com o distúrbio alimentar. Como os grupos mais afetados são os de adolescentes, a publicidade que estimula estilos de vida “magros” também começará a ser banida.

Os perigos da magreza excessiva

Você já ouviu falar do Índice de Massa Corporal? O IMC é uma medida que pode indicar magreza excessiva ou obesidade.

Reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma referência para classificar diversos problemas corporais, o índice deve ser obtido por um médico, que também levará em conta princípios genéticos, taxas de colesterol, circunferência do abdômen e outros fatores.

Além de anorexia e bulimia, comuns em pessoas que cultuam a magreza excessiva, o peso muito baixo pode desenvolver doenças como anemia e hipovitaminose. A primeira é causada pela falta de ferro na corrente sanguínea, enquanto a segunda indica pouca presença de vitaminas.

Queda de cabelo, unhas que se quebram com facilidade, ressecamento da pele e dentes frágeis são consequências da magreza demasiada, que também pode provocar cansaço, fraqueza, falta de concentração, pouco rendimento físico e prejuízos no sono.

Para evitar ficar magra demais e sofrer com os prejuízos de um peso que não é compatível com uma vida saudável, é preciso ficar atenta à alimentação. Uma dieta equilibrada, rica em todos os minerais e vitaminas, permite melhor qualidade e desempenho nas atividades diárias.

Porém, além disso, é preciso se conscientizar de que muitos padrões não servem para as necessidades funcionais e orgânicas do corpo. Nesse caso, pode ser necessário um psicólogo e acompanhamento nutricional para tratar de distúrbios alimentares.

E, para você, quais são os limites da beleza? Conte para nós! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligada em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
moda
emagrecimento
polêmica
modelos

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ