Mulher

30/07/2015 04:08 - Atualizado em 08/12/2016 07:59

Infecções na gravidez podem afetar o bebê

Doenças como a rubéola, hepatite e toxoplasmose podem trazer consequências graves.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Ficar doente em qualquer fase da vida sempre requer atenção. Porém, é preciso tomar cuidado redobrado com as infecções na gravidez. Durante os nove meses, devem-se observar quaisquer sintomas que a mulher possa apresentar.

Mesmo carregando outra vida dentro si, as futuras mamães possuem um sistema imunológico que funciona bem. Ainda assim, todo cuidado é pouco, pois algumas complicações podem atingir o feto de diversas maneiras, causando sequelas irreversíveis.

Infecções mais comuns na gravidez

Dr. Luis Fernando Aranha Camargo, médico infectologista, salienta que as infecções urinárias são recorrentes em grávidas. Além disso, a rubéola, o sarampo, as hepatites B e C, a pneumonia, a sífilis e a toxoplasmose são algumas infecções na gravidez que merecem mais atenção.

infeccoes na gravidez

De acordo com o profissional, as doenças adquiridas principalmente no primeiro trimestre da gestação podem causar deformações na criança. “Dentre elas, podemos citar a toxoplasmose e a rubéola, que podem ser extremamente grave à criança, caso a gestante não seja vacinada ou nunca tenha tido contato com a doença”, alerta o doutor.

Na maioria dos casos, a mulher somente contrai as infecções quando não passou por elas antes da gravidez. Por isso, é indicado que haja a vacinação para a hepatite B e a rubéola antes mesmo de engravidar. Exames de sangue para checar quais enfermidades já foram ou não contraídas - entre elas a sífilis e as hepatites - também são necessários.

Prevenção e tratamento das infecções na gravidez

Assim que a mulher souber que está grávida, o ideal é começar o pré-natal e ser acompanhada por um profissional da obstetrícia até a hora do parto. Esse procedimento é essencial para prevenir doenças e anomalias, e também ajuda na diminuição das taxas de mortalidade infantil e materna. A seguir, conheça algumas infecções na gravidez e o risco que trazem para a mãe o bebê.

Toxoplasmose

Surge com sinais de febre, acompanhada por aumento dos nódulos linfáticos, as conhecidas ínguas. Quando desenvolvida na gravidez, a doença pode ser transmitida para o feto, ocasionando lesões cerebrais, retardo mental e problemas oftalmológicos, que vão desde as pequenas alterações até a cegueira completa.

Uma das formas de evitar a toxoplasmose é não comer carne malpassada e ovo cru ou frito, optando pelas frutas e verduras bem higienizadas. Além disso, a gestante deve evitar o contato com cachorros e gatos. O tratamento consiste em medicação oral para evitar a passagem do protozoário para a criança.

Rubéola

O indicado é que as mulheres façam exames e recebam vacina com pelo menos três meses de antecedência da gestação. Durante a gravidez, a rubéola se torna um risco para o bebê, podendo levar a cegueira, malformações cardíacas, surdez e microcefalia. No tratamento durante a gestação, pouco pode ser feito, além de constatar a presença ou não de malformação fetal.

Hepatite B e C

A primeira pode ser contraída por meio de relação sexual, transfusão de sangue e uso de agulhas não esterilizadas. A presença dos vírus da hepatite no corpo da mulher representa risco de 50% de transmissão para a criança. Durante o pré-natal, não há nada que possa ser feito, mas o tratamento pós-nascimento costuma obter bons resultados.

Sífilis

Doença sexualmente transmissível e passada facilmente para o feto, a sífilis leva a infecção crônica de difícil tratamento, assim como óbito fetal intrauterino e, após o nascimento, alteração cutânea, lesões ósseas e articulares, aumento do fígado e do baço, surdez e anomalias dentárias.

O tratamento da gestante consiste em doses de penicilina. Porém, o problema está no cuidado da criança, pois, na maioria das vezes não atinge o resultado esperado.

Viu como é importante prevenir as infecções na gravidez? Não deixe de comentar o que você achou do artigo. Aproveite, também, para conferir mais dicas de saúde aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
toxoplasmose
rubéola
hepatite
infecção urinária

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ