Mulher

27/03/2016 02:00 - Atualizado em 24/11/2016 02:36

Galactorreia: Entenda as causas da lactação fora de época

Condição também pode atingir homens com disfunção hormonal.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A galactorreia é caracterizada pela produção de leite fora do período de lactação. Além de atingir mulheres que não estão amamentando, a condição também pode ocorrer com homens. Embora nem sempre represente gravidade, o acompanhamento médico é indispensável. Confira a seguir quais são as causas mais comuns e como tratar o problema.

mãe com galactorreia e bebê crescidinho

Causas para a galactorreia

Entre as causas mais frequentes da galactorreia, está a produção excessiva de determinados hormônios, como a prolactina, responsável por estimular a lactação. Tumor na hipófise e certos medicamentos - como narcóticos, fenotiazinas e até mesmo remédios para o tratamento da hipertensão - também podem levar ao desenvolvimento desse quadro.

Quanto às causas menos comuns, destacam-se hipotireoidismo, exercícios físicos em excesso, lesões, uso de contraceptivos, insuficiência renal, patologias no hipotálamo, síndrome dos ovários policísticos e alimentação rica em gorduras.

Além da própria secreção de leite, as mulheres podem apresentar sintomas como irregularidades no ciclo menstrual, ressecamento vaginal e ondas de calor. Já os homens podem ter perda da visão periférica, desestímulo sexual e impotência.

O diagnóstico da galactorreia é feito com base no exame físico e na análise sanguínea. O médico verifica a quantidade de hormônios no organismo e também pode realizar tomografia ou ressonância magnética para descartar a presença de tumores.

Tratamento e prevenção da galactorreia

O tratamento da condição depende da causa. Se o motivo da lactação for relacionado à concentração de prolactina no sangue, o médico poderá prescrever o uso de brumocriptina. Mulheres também podem recorrer a contraceptivos orais que contenham estrógenos.

Já se o quadro for decorrente da presença de tumores, pode haver necessidade de intervenção cirúrgica e de tratamento complementar, no qual são administrados remédios. Vale lembrar que, em alguns casos, mesmo que a cirurgia resolva o problema inicialmente, há chances de ele voltar a aparecer.

Quando a secreção estiver relacionada a problemas como insuficiência renal, hipotireoidismo ou lesão torácica, o tratamento será conduzido de acordo com a patologia específica.

Para prevenir a galactorreia, as recomendações são:

- Evitar o uso de roupas muito apertadas

- Suspender a estimulação mecânica ou excessiva da região das mamas

- Realizar o autoexame de mamas mensalmente

- Não utilizar drogas ilícitas

- Realizar exames de rotina anualmente.

É importante que, aos primeiros sinais de galactorreia, um médico seja procurado imediatamente. Mesmo que em alguns casos o problema não seja grave, o acompanhamento deve acontecer desde cedo para descartar possíveis complicações.

Tirou suas dúvidas? Então aproveite para compartilhar o artigo com seus seguidores nas redes sociais. E não se esqueça de conferir outras dicas de saúde aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
lactação excessiva
prolactina
hormônios
tireoide

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ