Mulher

10/06/2014 09:00 - Atualizado em 01/12/2016 11:31

Futuras mamães: Dicas para uma gestação saudável

Exames importantes, alimentação na gravidez e outras recomendações para a saúde do bebê.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Faça Pré-Natal

Um bom pré-natal é uma das garantias de gravidez segura e tranquila. Também é através dele que futuras mamães entram em contato estreito com o ginecologista e o obstetra.

Sinta-se bem

Caso a gestante não fique confiante na primeira consulta médica, o ideal é tentar consultar mais de um profissional. O importante é ela sentir-se bem com quem vai cuidar dos 9 meses da gestação e do parto.

Alimentar-se bem, mas com moderação

O velho provérbio diz que uma grávida deve comer por dois. Na verdade, a dieta de gestantes deve ser balanceada e nutritiva, mas não consumida em dobro.

A dieta da gestante deve conter verduras, legumes e frutas, carboidratos (de preferência integrais), leite e laticínios. Não esqueça das proteínas que podem ser de origem animal (peixes, carnes, frangos, ovos, etc.) ou vegetal (castanhas ou sementes).

Deve-se acrescentar em torno de 300 calorias diárias na alimentação, excluindo doces e frituras. Esse valor não é uma regra. O importante é que a futura mamãe não ultrapasse o aumento de peso de 1 quilo por mês.

Você está grávida, não doente: faça exercícios regularmente

Os exercícios físicos são muito importantes neste momento. Entre outros benefícios, eles reduzem o risco de diabetes gestacional, hipertensão arterial e de problemas com a coluna, além de auxiliarem no controle do peso.

É fundamental, antes de qualquer atividade física, sempre buscar a orientação médica.

Automedicação jamais!

Se este conselho vale em uma situação normal, durante a gravidez, ele vira lei. Nunca, em hipótese alguma, a gestante deve tomar remédio sem consultar um médico e isso vale desde as primeiras semanas.

E mais: Na primeira consulta do pré-natal, a gestante deve informar quais são os medicamentos que costuma usar em determinadas ocasiões e também regularmente. O médico é quem dirá se estes medicamentos podem ou não fazer mal à saúde do bebê.

Nada de fumar e beber

O fumo e o álcool são responsáveis por diversas dificuldades que as grávidas e os fetos enfrentam. O cigarro, por exemplo, aumenta o risco de aborto espontâneo, parto prematuro e de ter um natimorto (morte do feto no útero). Já a bebida em excesso é responsável por problemas congênitos dos recém-nascidos e, mais tarde, influenciam na aprendizagem.

Vivo Ligue Bebê: Um canal exclusivo para mamães e papais tirarem suas dúvidas

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ