Mulher

20/02/2015 04:21 - Atualizado em 03/12/2016 02:45

Frigidez: Busca pelo prazer pode ser complicada

A causa da frigidez está relacionada muito mais a fatores psicológicos que a problemas físicos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A frigidez é causadora de angústia, frustração e até mesmo culpa. Segundo o médico e sexólogo Gerson Lopes, a falta de desejo é uma queixa frequente, sobretudo em mulheres acima dos 40 anos, na pré e na pós-menopausa. "Acredita-se que, em cada dez mulheres nessa etapa da vida, pelo menos uma apresente frigidez", relata.

frigidez

As causas da frigidez

Com raras exceções, a causa da frigidez está associada a questões psicológicas e emocionais - não físicas, como muitos podem pensar.

Entre as queixas que costumam aparecer no consultório, Lopes destaca as mais frequentes. Infidelidade, hostilidade, competitividade na relação, monotonia conjugal, fatores ligados ao desenvolvimento psicossexual na infância, abuso sexual, repressão e ortodoxia religiosa estão entre elas.

A depressão também pode ser responsável pela frigidez, assim como alguns antidepressivos, caso sejam utilizados por muito tempo. A monotonia conjugal, a falta de fantasias e mesmo a ausência de romantismo e cumplicidade pode resultar na falta de interesse pelo sexo.

Nos casos em que a mulher perde a vontade de fazer sexo por sentir dores durante as relações sexuais, o casal deve procurar ajuda profissional com o objetivo identificar se a causa é orgânica ou psicológica.

A frigidez não é um caso isolado. A falta de vontade ocorre durante meses. Alguns sinais são quando a mulher pratica o ato sexual apenas para satisfazer o parceiro, ou quando não faz diferença para ela ter ou não ter relações.

O desejo sexual hipoativo não é exclusivo das mulheres. Segundo Lopes, nos tempos atuais aumentou o número de homens com essa queixa. Porém, elas ainda são as mais acometidas, devido a fatores sociais. "Repressão familiar maior e homens opressores as deixam mais sensíveis ao entorno".

Tratamento

Segundo Lopes, se a causa for psicológica, a terapia sexual é uma boa alternativa. Já para os casos de ordem física, o tratamento depende de uma causa específica, que pode ser hormonal, medicamentosa ou advinda de alguma doença.

Dicas para evitar a frigidez de ordem psicológica

O sexólogo Gerson Lopes propõe algumas dicas que podem ser seguidas e, assim, ajudar a mulher a voltar a ter interesse pelo sexo.

Fuja da monotonia sexual

"Viver é criar, e sexo é vida. Portanto, no sexo tem que existir criatividade, a busca de relações sexuais atraentes. Diga não ao sexo metódico, sempre feito na mesma hora, da mesma maneira e no mesmo local. Seja permissivo com suas fantasias e viva sem culpa, tendo também experiências autoeróticas (masturbação).”

Preocupe-se com o lazer e a atividade física

"Não há como separar a gaveta sexual da gaveta do cotidiano. Sexo também é ecologia. Pratique ecologia também para o seu corpo e sua mente - lazer com prazer, momentos de ócio. Uma mente tranquila e um corpo vigoroso podem funcionar como verdadeiros afrodisíacos."

Aceite sua condição humana de imperfeição

"Valorize o que você tem e, se precisar, procure seu médico para recuperar a saúde e o vigor que você já teve. O importante é que procure ser você mesmo e mude o que precisar para continuar a ser o mesmo, buscando ser feliz sempre."

Gostou das dicas? Conte para nós o que você faz para apimentar a relação! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligada em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
sexo
sexualidade
mulher
desejo sexual

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ