Mulher

27/09/2014 10:42 - Atualizado em 03/12/2016 12:00

Febre e dores de cabeça são possíveis reações da vacina HPV

Caso de paralisia em São Paulo provocou discussão sobre reações da vacina HPV.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Forma de prevenção da doença sexualmente transmissível que mais atinge mulheres no mundo, a vacina do HPV provocou reações inesperadas neste ano no Brasil. Após receberem dose da vacina, alunas de uma escola do estado de São Paulo perderam momentaneamente a capacidade de andar, o que abriu uma discussão sobre as possíveis reações da vacina HPV

reacoes-da-vacina-hpv

Reações da vacina HPV: O caso de Bertioga

A vacina contra o HPV - Papiloma Vírus Humano - começou a ser distribuída de forma gratuita para adolescentes brasileiras, com idades entre 11 e 13 anos, no início deste ano. A campanha do governo federal visa a diminuir a incidência do vírus, causador do câncer de colo de útero, em meninas que ainda não ingressaram na vida sexual.

Na campanha, os agentes de saúde vão até as escolas e postos para distribuir as doses de modo regular. Foi em uma dessas visitas que um grupo de 11 meninas, estudantes da cidade de Bertioga (SP), começaram a demonstrar reações da vacina HPV. Das 11 jovens, três foram internadas em estado grave no hospital por relatarem a perda de movimento e sensibilidade nas pernas.

Mas, para uma vacina como essa ser colocada à disposição da sociedade, ela precisa passar por inúmeros tipos de testes. Todos os estudos feitos precisam apontar a qualidade do medicamento e sua eficácia para que o governo possa iniciar a aplicação. Ao longo dos períodos de distribuição, as doses das vacinas passam por novos testes, para comprovar se elas se mantêm dentro do padrão de qualidade.

O fato é que nenhum desses estudos apontou a relação entre a vacina do HPV e a paralisia dos membros. As meninas que atestaram os sintomas passaram por uma série de exames, para verificar a origem dos problemas. As análises médicas indicaram uma motivação emocional para essas reações da vacina HPV. Os laudos apontam a fragilidade psicológica da adolescência como causa do problema.

As possíveis reações da vacina HPV

Mas a falta de relação entre a vacina e a paralisia dos membros não significa que ela não produza nenhum tipo de reação. Pelo contrário, a vacina é feita com a estrutura do vírus e, por isso, pode, sim, provocar reações de diversos gêneros. Além disso, é um medicamento como os outros e apresenta os mesmos níveis de risco que as vacinas comuns demonstram.

Uma das mais comuns reações da vacina HPV é a ocorrência de dor na região de aplicação. Vermelhidão e aquecimento do ponto onde a vacina foi feita também são sintomas recorrentes. Isso porque o medicamento é aplicado de forma intramuscular e a região recebe um grande aumento na intensidade da circulação sanguínea. É uma reação do corpo para reconhecer a substância introduzida.

Febre, mal estar, dores de cabeça e desmaio súbito após os primeiros 15 minutos da aplicação também são reações da vacina HPV. Para evitar os desmaios, os vacinados devem receber a aplicação sentados e ficar em observação por 20 minutos. Mas a Sociedade Brasileira de Imunizações afirma que as reações são benignas e não oferecem risco de deixar sequelas.

TAGS
vacina
saúde
hpv

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ