Mulher

29/03/2016 02:00 - Atualizado em 10/12/2016 07:45

Exame papanicolau faz parte da rotina da mulher

Procedimento pode detectar o câncer de colo de útero.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O exame papanicolau até pode parecer um pouco assustador, num primeiro momento, especialmente quando não se tem certeza do que esperar. A boa notícia é que tudo é feito em poucos minutos.

O procedimento é a melhor maneira de detectar o câncer do colo do útero – daí a importância de fazê-lo regularmente. Saiba mais sobre esse exame e veja quando realizá-lo.

pernas de mulher antes de exame papanicolau

Para que serve o exame papanicolau?

Basicamente, ele testa a presença de células pré-cancerosas ou cancerosas no colo do útero. É chamado dessa forma em homenagem ao médico Georgios Papanikolaou, que determinou que essa era uma maneira útil para detectar sinais da doença. Durante o procedimento, as células da região são suavemente raspadas e, em seguida, examinadas.

Estima-se que o câncer do colo do útero possa atingir cerca de 16.340 mulheres no Brasil só em 2016, segundo o Instituto Nacional do Câncer. Conforme dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), no mundo inteiro cerca de 500 mil novos casos da neoplasia e 274 mil mortes a ela atribuíveis ocorrem anualmente, o que a torna a segunda causa mais comum de óbito por câncer em mulheres.

Várias estirpes do papilomavírus humano (HPV), sexualmente transmissível, desempenham um papel em causar esse câncer. Embora o exame não teste a presença do HPV, ele identifica alterações celulares causadas pelo vírus.

Ao detectar células cancerosas cervicais com um exame papanicolaou de rotina, o tratamento pode começar antes que elas se espalhem e se tornem um problema maior. Todas as mulheres sexualmente ativas estão em risco de contrair o HPV e devem se submeter ao procedimento, pelo menos, a cada três anos.

Geralmente isso é necessário a partir dos 21 anos de idade. Se você é HIV positivo ou tem um sistema imunológico enfraquecido, pode precisar de testes mais frequentes, devido a um maior risco de infecções e câncer. O teste não detecta outras doenças sexualmente transmissíveis, de forma que exames complementares continuam indispensáveis.

médica e paciente de exame papanicolau

Como funciona o exame papanicolau?

A má notícia é que o papanicolau pode ser um pouco desconfortável. A boa é que ele é muito rápido. Durante o procedimento, você se deita sobre uma mesa de exame com suas pernas abertas e os pés apoiados em suportes. O médico irá lentamente inserir na vagina um dispositivo chamado espéculo para manter as paredes vaginais abertas e ter acesso ao colo do útero.

Em seguida, ele raspa uma pequena amostra de células do colo do útero usando uma espátula. A maioria das mulheres sente uma leve irritação durante a raspagem. A amostra de células vai ser preservada e enviada para um laboratório. Então, é testada a presença de células anormais.

Depois do teste, é comum sentir um leve desconforto ou um pouco de cólicas. Informe ao médico se o sintoma ou algum tipo de sangramento continuar no dia seguinte. Se os resultados forem normais, você provavelmente não vai precisar de um novo exame por mais três anos.

Caso os resultados fujam ao esperado, isso não significa que você tenha câncer. O que há são células anormais no colo do útero, das quais algumas poderiam ser pré-cancerosas.

A partir daí, é provável que o profissional submeta você a uma colposcopia, que permite visualizar tecidos vaginais e do colo do útero com mais clareza. Em alguns casos, o médico pode também obter uma amostra do seu tecido cervical para uma biópsia.

Tirou suas dúvidas sobre o papanicolau? Então aproveite para compartilhar o artigo com suas amigas! E não deixe de conferir as dicas de saúde do Vivo Mais Saudável.

TAGS
hpv
câncer de colo do útero
ginecologia
exames de rotina

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ