Mulher

30/03/2016 06:00 - Atualizado em 08/12/2016 10:41

Estimule a produção de ocitocina e tenha um parto normal

Hormônio pode ser produzido naturalmente ou reposto com medicamentos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Responsável por tornar mais forte o laço afetivo entre mãe e filho, a ocitocina é por isso também conhecida como “hormônio do amor”. Ela faz com o útero fique contraído no fim da gestação, preparando o bebê para o nascimento.

Prazer, bem-estar físico e equilíbrio emocional são outros benefícios que esse composto hormonal traz ao corpo. Ao atingir as 41 semanas de gravidez, é esse hormônio que começa a induzir o parto e deixa a mãe mais segura e tranquila para conhecer seu filho. Saiba como estimular a produção da substância.

grávida e marido tiram dúvidas sobre ocitocina com médica

Ocitocina melhora a qualidade do parto

Apesar de ser um hormônio mais presente no corpo das mulheres, a ocitocina também se encontra no organismo masculino. Ela é produzida no cérebro, principalmente durante situações íntimas, como abraçar, beijar e acariciar o bebê.

Por seus efeitos benéficos, o hormônio do amor tem sido estudado como medicamento para atenuar sintomas de depressão, ansiedade e medo. Na Universidade da Califórnia, em San Diego, nos Estados Unidos, pesquisadores já descobriram, por meio de testes clínicos, que os pacientes enfermos aumentam sua confiança no tratamento ao receberem uma carga hormonal.

Quando a mulher não produz ocitocina suficiente para o momento do nascimento do bebê, o médico pode receitar uma reposição hormonal. Existem medicamentos líquidos e em spray com a substância, auxiliando na indução do parto.

No momento de dar a luz, o hormônio do amor provoca as contrações uterinas, de forma compassada, até o nascimento. Assim que a mãe começa o trabalho de parto, o organismo começa a enviar os sinais para o cérebro, que faz as ondas hormonais se espalharem pelo corpo.

É por isso que, quando não ocorre um processo tranquilo no parto, os médicos induzem o nascimento com injeções de ocitocina sintética. Assim, o trabalho é acelerado e o hormônio percorre a corrente sanguínea, ajudando o bebê a sair.

Durante a lactação, essa substância também desempenha uma função importante. Quando o bebê está mamando, estimula a liberação de mais hormônios a partir do movimento de sucção. Eles fazem com o que o leite saia com mais facilidade, além de aumentar o vínculo afetivo entre mãe e filho.

Algumas mães podem precisar fazer uso do spray hormonal, que os médicos recomendam tomar cinco minutos antes de cada mamada ou de retirar leite. No entanto, esse tipo de reposição é indicado apenas quando há dificuldade na amamentação, ou então para mães adotivas.

infográfico ocitocina

Práticas que ajudam na produção de ocitocina

Algumas práticas no dia a dia podem auxiliar na produção do hormônio do amor e, consequentemente, levar a um parto normal tranquilo. Confira:

Acupuntura

Os asiáticos já utilizam a terapia com agulhas para indução do parto há bastante tempo. Na Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, pesquisadores investigaram mulheres com cerca de 41 semanas de gravidez. O estudo foi que 70% das que receberam três sessões de acupuntura na semana entraram em trabalho de parto de modo normal.

Sexo

O sexo produz hormônios de prazer semelhantes à ocitocina. Além disso, quando o parceiro ejacula dentro da vagina, a mulher recebe prostaglandina, que ajuda no amadurecimento do colo do útero e o incentiva a se abrir.

Mamilos

Quando são estimulados, os mamilos liberam o hormônio do amor e ajudam nas contrações. Indica-se fazer movimentos semelhantes ao de sucção diariamente, massageando a área por cerca de cinco minutos.

Gostou do artigo? Então aproveite para compartilhá-lo com outras futuras mamães! E não se esqueça de conferir as novidades de saúde e bem-estar do Vivo Mais Saudável.

TAGS
hormônio
gravidez
amamentação
mãe e filho

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ