Mulher

16/06/2015 08:21 - Atualizado em 11/09/2016 08:12

Entenda as causas da infertilidade feminina

Fatores como doenças e estilo de vida podem prejudicar a fertilidade.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Ter dificuldades para engravidar é um problema enfrentado por muitas mulheres, e que pode acabar impossibilitando o sonho de ser mãe. A infertilidade feminina é causada tanto por fatores internos quanto por externos, de predisposição genética a doenças ou o próprio estilo de vida que a mulher leva.

Principais causas da infertilidade feminina

Segundo a médica Silvana Chedid, especialista em reprodução assistida, as principais causas da infertilidade feminina são os problemas com a ovulação, a ausência ou a baixa qualidade de óvulos.

Às vezes, esses casos surgem com a queda natural da fertilidade, que ocorre porque os óvulos vão perdendo qualidade com o passar dos anos. Depois dos 35 anos de idade, torna-se mais difícil engravidar.

infertilidade feminina

Outros fatores são: lesões ou obstruções nas trompas de falópio; endometriose, que pode comprometer ou dificultar a fertilidade; doenças sexualmente transmissíveis, como a clamídia, que é considerada a principal causa evitável de infertilidade; doenças de tireoide.

O estilo de vida também influencia os casos de infertilidade feminina, como uso de antidepressivos, consumo de álcool e drogas, tabagismo e obesidade. "Caso o estresse esteja provocando alterações hormonais, pode favorecer a dificuldade de ter filhos", alerta a Dra. Silvana.

Além disso, a poluição atmosférica e produtos químicos contidos nos alimentos também são prejudiciais e podem alterar a fertilidade de homens e mulheres.

Como tratar e prevenir a infertilidade

Alguns problemas que causam a infertilidade feminina podem ser tratados, como é o caso da endometriose e outras doenças. Com procedimentos e reposição hormonal indicados por um médico especializado, é possível recuperar a fertilidade e conseguir com que a mulher engravide de forma saudável e segura.

Conforme a Dra. Silvana, uma vida saudável e ativa pode ajudar a prevenir alguns casos, retardando o processo natural de perda da fertilidade. Manter o peso ideal é uma das principais medidas, pois evita a obesidade, melhora a ação da insulina e do cortisol e diminui o estresse oxidativo. Esses fatores estão diretamente ligados à infertilidade feminina.

Além disso, alguns nutrientes também ajudam a fortalecer e proteger o sistema reprodutor. A Dra. indica o consumo de vitaminas B, C e D, pois contribuem para o controle hormonal, melhoram a imunidade, mantêm a saúde dos ovários, diminuem o impacto dos hormônios do estresse e estimulam a ovulação.

As oleaginosas, como castanhas, nozes, amêndoas e pistache, também são importantes, pois possuem gorduras saudáveis e nutrientes como zinco, selênio e vitamina E, que ajudam na produção de hormônios sexuais. O consumo de flavonoides e fibras também é recomendado, atuando na preparação do útero e no controle da insulina.

Para as mulheres que desejam ter filhos mais tarde, após os 35 anos, o congelamento dos óvulos e a fertilização in vitro podem ser ótimas opções.

A vitrificação, que é o processo de congelar os gametas, mantém a qualidade da fertilidade para quando a gravidez for desejada, evitando os riscos de infertilidade e doenças genéticas ligadas ao envelhecimento dos óvulos. "Os bebês nascidos são tão normais quanto os concebidos por gravidez espontânea", assegura a médica.

Gostou das dicas de saúde feminina? Deixe um comentário! E lembre-se que sempre tem novidade para o seu bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
vitrificação
endometriose
ovulação
gravidez

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ