Mulher

25/07/2015 08:53 - Atualizado em 27/11/2016 08:05

Entenda a importância do partograma para mãe e bebê

O partograma é uma das medidas do Ministério da Saúde para estimular o parto normal.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você já ouviu falar em partograma? Ele é um documento em que é feito o registro das funções vitais da mãe e do bebê na hora do parto, ajudando a avaliar se tudo está ocorrendo normalmente.

No início de 2015, a medida passou a ser obrigatória na rede privada, com o objetivo de diminuir os índices de cesáreas e outras intervenções sem necessidade, estimulando a escolha pelo parto normal. O registro visa a garantir mais segurança e saúde para mãe e bebê. Entenda como ele funciona.

O que é partograma

O partograma é uma forma de registrar todas as etapas do trabalho de parto. Com versões diferenciadas, o médico registra principalmente a frequência das contrações uterinas, os batimentos cardíacos fetais e a dilatação cervical materna. Com essas informações, fica mais fácil avaliar se o processo está dentro dos padrões considerados normais.

partograma

O documento é uma das medidas de estímulo ao parto normal anunciadas pelo Ministério da Saúde e pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A partir de julho de 2015, passou a ser obrigatório o preenchimento do partograma para médicos de toda a rede privada do Brasil.

A medida é importante pois ajuda a acompanhar de perto a contração uterina, facilitando evidenciar e corrigir qualquer alteração - como número reduzido ou aumentado de contrações -, além de controlar a frequência cardíaca fetal, sendo que o aumento (taquicardia) ou a redução (bradicardia) podem ser indicativos de Sofrimento Fetal Agudo.

Também acompanha a dilatação do colo do útero (cervicodilatação), auxiliando o médico a observar se a progressão está adequada ou não; ajuda a avaliar a descida do bebê pela bacia e pelo canal de parto; e possibilita que qualquer profissional da equipe, como médicos ou enfermeiros, consiga fazer uma leitura clara do andamento do trabalho de parto.

Segundo o Ministério da Saúde, o partograma deve ser considerado parte integrante do processo das redes privadas para pagamento do parto. Com isso, as cesáreas marcadas com antecedência e sem indicação médica poderão ser impedidas. Apenas as cesarianas recomendadas ou necessárias durante um trabalho de parto difícil serão reembolsadas pelo plano.

Importância do parto normal

Como uma das medidas adotadas pelo ministério para estimular o parto normal, o partograma é uma forma de garantir mais segurança e tranquilidade para mãe e bebê na hora do nascimento. Muitas mulheres optam diretamente pela cesárea devido ao medo do parto vaginal, tanto de sentir dor quanto de sofrer algum tipo de violência obstétrica.

Qualquer procedimento que seja realizado sem autorização prévia da gestante ou sem necessidade é considerado um ato de violência, como a realização de cesárea ou episiotomia, que estão entre os principais casos de abuso. Segundo uma pesquisa da Fundação Perseu Abramo, uma em cada quatro mulheres é vítima de violência durante o parto, no Brasil.

Outro dado que preocupa é a realização de cesáreas no país, muitas delas desnecessárias. De acordo com a Fiocruz, 52% dos partos realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) são pela cirurgia, chegando a 88% na rede privada. O índice recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 15%.

O que você achou do artigo? Tirou suas dúvidas sobre partograma? Conte para nós! E lembre-se que o Vivo Mais Saudável sempre traz novidades de saúde para você.

TAGS
parto normal
cesárea
rede privada
Ministério da Saúde

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ