Mulher

14/04/2015 01:39 - Atualizado em 18/12/2016 04:51

Dieta e exercícios previnem o inchaço na gravidez

Manter uma alimentação saudável e ingerir bastante água são algumas dicas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O inchaço na gravidez é um dos incômodos mais frequentes enfrentados pelas gestantes. Ele é causado pelas alterações hormonais e pela retenção de líquidos, atingindo principalmente os membros inferiores.

O problema causa indisposição e sensação de que os membros estão mais pesados. Porém, seguindo algumas instruções de hábitos saudáveis, é possível não só diminuir o inchaço, mas também evitar que ele apareça e gere outras complicações mais graves para a saúde da mãe e do bebê.

inchaco na gravidez

Causas e complicações do inchaço na gravidez

Também chamado de edema, o inchaço na gravidez é um problema comum a partir do sétimo mês de gestação, principalmente em períodos de calor intenso. As partes do corpo mais afetadas são as mãos, as pernas e os tornozelos, causando cansaço e até mesmo dor nos membros.

As principais causas do inchaço são as alterações hormonais e a retenção de líquidos, que ocorre porque o corpo retém água para ajudar a manter o volume do sangue maior. Com o crescimento do bebê, o útero acaba comprimindo os vasos sanguíneos localizados na região pélvica, prejudicando o retorno do sangue que está nas pernas.

O inchaço na gravidez não é motivo para pânico ou grandes preocupações. Seguindo algumas medidas, é possível diminuir e até mesmo prevenir o edema. O ideal é manter hábitos saudáveis para evitar problemas que contribuam para o aparecimento do inchaço, como excesso de peso, tabagismo, falta de hidratação e má alimentação.

Alimentos e exercícios para evitar o inchaço na gravidez

A alimentação é um dos fatores que mais influenciam o inchaço na gravidez, pois estimula o funcionamento de todo o organismo. A dica é manter um cardápio com grande variedade de vegetais, principalmente os verde-escuros. Eles são diuréticos e ricos em magnésio, clorofila e antioxidantes, que ajudam na circulação sanguínea.

As frutas como uva, maçã, maracujá, limão, pêssego e abacaxi também são diuréticas e indicadas para consumo diário.

É fundamental diminuir a ingestão de sal durante a gestação. O sódio e o iodo presentes no sal são importantes para controlar a produção hormonal, mas o condimento deve ser consumido com moderação. Ele é um dos principais fatores que aumentam a retenção de líquidos.

Além disso, a gestante deve beber bastante líquido, principalmente nos dias mais quentes. O ideal é ingerir pelo menos dois litros de água por dia, complementando ainda com chás diuréticos, como capim-limão e dente-de-leão. Eles também evitam a retenção de líquidos e ainda colaboram para o funcionamento dos rins.

A prática regular de exercícios também ajuda a combater o inchaço na gravidez. As atividades mais indicadas são as caminhadas e a hidroginástica, pois são mais leves e não provocam impacto. As gestantes devem se movimentar durante toda a gestação, pois isso evita não apenas o edema, mas também traz outros benefícios para a saúde da mãe e do bebê.

Apesar de ser normal, a mamãe deve ficar atenta se o inchaço for intenso, pois ele pode indicar outras complicações, como problemas renais, diabetes gestacional ou pressão alta. Por isso, o médico deve ser informado sobre qualquer alteração para que ele possa analisar e decidir se o inchaço está ocorrendo de forma normal.

Gostou das dicas de saúde? Deixe um comentário! E não esqueça que sempre há novidades aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
retenção de líquidos
gravidez
dores nas pernas
má circulação

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ