Mulher

16/07/2014 02:00 - Atualizado em 05/12/2016 12:15

Diabetes gestacional pode afetar mãe e bebê

O diabetes gestacional deve ser controlado para evitar riscos à saúde do bebê e da mãe.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Durante a gestação, muitas mudanças ocorrem no corpo da mãe para receber o feto. As alterações hormonais são as mais frequentes e algumas delas podem se tornar graves quando não tratadas de forma adequada, como é o caso do diabetes gestacional. Uma alimentação balanceada é capaz de proteger a mãe e o bebê dos riscos da doença.

Incidência da doença assusta

diabetes-gestacionalFoto: Shutterstock

Estima-se que 7% das mulheres acabam desenvolvendo a doença durante o período da gravidez. Embora ela costume desaparecer após o nascimento do bebê, uma grávida que sofreu de diabetes gestacional tem 50% de chance de desenvolver o diabetes tipo 2 ao longo da vida.

Mulheres com história familiar de diabetes ou que estejam acima do peso são as mais propensas a sofrer da doença. Por isso se faz importante o controle de peso durante toda a gestação, além da realização de exames específicos por volta da 24ª semana de gravidez.

De forma geral, gestantes obesas são incentivadas a não engordar mais do que 7kg durante toda a gestação. As mulheres grávidas que não estão acima do peso também têm risco de desenvolver a doença, por isso não podem ultrapassar os 12kg de excesso no decorrer dos nove meses de gravidez.

Entendendo o diabetes gestacional

Quando a mulher engravida, suas funções metabólicas passam por diferentes mudanças. O aumento de um hormônio específico, chamado de lactogênio placentário, pode bloquear a ação da insulina no corpo da gestante.

Em uma situação normal, o próprio corpo se encarrega de compensar o desequilíbrio produzindo mais insulina. Entretanto, em alguns casos a gestante não reage desta forma e assim ocorrem as elevações glicêmicas – aumento do nível de glicose no sangue – levando a um quadro de diabetes gestacional.

Quando o bebê é exposto a grandes quantidades de glicose, o risco de crescimento fetal excessivo (macrossomia fetal) aumenta. O bebê também pode sofrer de hipoglicemia logo ao nascer, além de ter mais chances de ser obeso e desenvolver diabetes na vida adulta.

Sintomas do diabetes gestacional

Os sintomas do diabetes gestacional podem passar despercebidos, pois se confundem com os da própria gestação: vontade frequente de urinar, sensação de fraqueza e apetite aumentado. Se você percebeu sintomas parecidos, procure seu médico obstetra e peça para fazer os exames que checam o nível de glicose no sangue.

Mesmo que o resultado seja positivo para diabetes gestacional, não se desespere! Apesar de ser um fator de risco, a doença possui tratamento seguro. A chamada terapia insulínica não afeta nem a mãe nem o bebê quando realizada com acompanhamento.

Alimentação e exercícios controlam a doença

Nem sempre o tratamento medicamentoso é necessário. Pequenas mudanças na rotina, como seguir uma orientação nutricional e praticar atividade física,  são capazes de reduzir os níveis glicêmicos de forma considerável.

Mas atenção: antes de sair praticando qualquer exercício físico, procure um médico. Só ele poderá lhe indicar a melhor atividade sem colocar em risco a sua gestação. O mesmo vale para os cuidados com a alimentação. Somente um nutricionista poderá elaborar um cardápio correto para a futura mamãe que sofre de diabetes gestacional.

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ