Mulher

18/09/2014 05:55 - Atualizado em 21/11/2016 01:47

Conheça os sintomas de depressão pós-parto e veja como evitá-los

Sintomas de depressão pós-parto ocorrem até um ano depois do nascimento do bebê.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A depressão pós-parto é uma doença psicológica que pode se desenvolver de forma moderada ou grave na mulher após ela ter dado à luz um bebê. Os sintomas de depressão pós parto podem ocorrer logo após o parto ou até um ano depois. Na maioria das vezes, as manifestações acontecem até 3 meses depois do nascimento do bebê.

Sintomas de depressão pós-parto

Os sintomas de depressão pós-parto são os mesmos da depressão que ocorre em outros momentos da vida. Além da tristeza e da depressão, é possível reconhecer esse tipo de depressão por meio do aparecimento de outros sintomas:

- Irritabilidade.

- Falta de apetite.

- Sensação de inutilidade ou perda.

- Sensação de reclusão.

- Falta de prazer em todas ou quase todas as atividades.

- Falta de concentração.

- Falta de energia.

- Ansiedade.

- Problemas para dormir.

sintomas da depressão pós-parto

Além disso, os sintomas de depressão pós-parto também podem incluir – ainda que em menos casos da doença – uma sensação de incapacidade que acaba limitando a capacidade de cuidar do bebê. O medo de ficar sozinha com bebê também pode ser um sinal da doença, assim como ter sentimentos negativos em relação ao filho ou até pensar em machucá-lo, preocupar-se demais com o bebê ou manifestar pouco interesse pela criança.

É importante manter-se alerta aos sintomas de depressão pós-parto, pois eles são variados e podem oscilar entre intensidades maiores ou menores. A mulher em depressão raramente apresenta alteração na capacidade de cuidar do seu bebê. Ou seja, ela não o abandona a própria sorte. Essa situação acontece somente nos casos mais graves. Nessas circunstâncias, os médicos podem indicar o uso da medicação específica até a situação ser normalizada.

Atenção aos sintomas de depressão pós-parto

A importância de se manter alerta aos sintomas de depressão pós-parto se dá principalmente em casos em que a mulher tem uma predisposição a ser depressiva. O auto-diagnóstico muitas vezes é difícil. É comum, por exemplo, que a pessoa ache que está apenas cansada e com falta de energia. Além disso, ela também pode se sentir culpada pela tristeza que está sentindo. 

Por isso, é necessário que os familiarem que se relacionam com a mulher também estejam atentos aos sintomas da doença. Caso seja notada qualquer instabilidade emocional, o ginecologista com o qual a mãe se consulta deve ser procurado. Após a avaliação, ele pode determinar com precisão o que fazer e como agir, encaminhando, se for o caso, a mulher para um especialista, seja ele psicólogo ou psiquiatra.

Mulheres que já passaram pela depressão pós-parto na primeira gestação têm mais chances de apresentá-la na segunda gravidez. Por isso, é essencial conversar abertamente com o obstetra que acompanha a gravidez, relatando todo o histórico pessoal, a fim de que ele indique o tratamento preventivo e evite complicações futuras.

Procure o médico se a sua tristeza não passar após o período de duas semanas depois do parto. Além disso, também é recomendado consultar-se com o especialista se você perceber que os sintomas de depressão ficam mais intensos ou se notar alguma dificuldade para executar tarefas domésticas ou profissionais. Não tenha medo de buscar ajuda imediatamente no caso de sentir-se impotente e acreditar que pode causar danos ao bebê.

Gostou da matéria? Então deixe um comentário e fique ligado na nossa página no Facebook para receber todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
depressão
saúde
gravidez

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ