Mulher

19/07/2015 10:12 - Atualizado em 10/12/2016 07:19

Conheça e previna-se da vaginose bacteriana

Essa doença é bastante comum entre as mulheres. Saiba como identificá-la e tratá-la.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A vaginose bacteriana é uma alteração bastante comum na flora vaginal. Acredita-se que todas as mulheres terão a doença pelo menos uma vez ao longo da vida. Porém, o desconforto causado por esse desequilíbrio precisa de cuidados e de tratamento.

A Dra. Nilma Antas Neves, presidente da Comissão de Vacinas da Federação Brasileira de Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), explica que na vaginose bacteriana ocorre uma diminuição dos lactobacilos - bactérias protetoras - e um aumento de várias outras bactérias anaeóbicas. Entenda por que isso ocorre e como se prevenir.

vaginose bacteriana

Como identificar a vaginose bacteriana

O diagnóstico da doença não costuma ser difícil, pois os sintomas geralmente são muito similares em todas as mulheres. ˜O quadro clínico é de corrimento vaginal branco com odor fétido, podendo estar associado a ardor e prurido vulvar˜, explica Dra. Nilma.

As causas da vaginose bacteriana, segundo a profissional, não são bem estabelecidas, mas determinadas circunstâncias favorecem o surgimento da doença. "Sangramento vaginal persistente, aumento da frequência de relações sexuais, má higiene e troca de parceiros sexuais são alguns dos fatores que contribuem para o desequilíbrio da flora vaginal˜, aponta.

Ela adiciona que o sangue e o esperma alcalinizam o meio vaginal, colaborando para o desenvolvimento da vaginose bacteriana. Ela não éconsiderada uma Doença Sexualmente Transmissível (DST), pois não é transmitida do homem para a mulher ou vice-versa. A médica comenta que tanto pacientes sexualmente ativas quanto até mesmo virgens podem apresentar o quadro clínico.

Sintomas e tratamento

O corrimento vaginal, acompanhado de um odor forte e fétido, é frequente e muito desagradável. "Além desses sintomas, pode ocorrer desconforto na relação sexual", esclarece a Dra. Nilma.

A ginecologista também alerta: "A ascensão das bactérias para o útero pode causar endometrite e, posteriormente, Doença Inflamatória Pélvica. Essa, se não tratada a tempo, pode acarretar dor pélvica crônica e infertilidade".

Quando a mulher apresenta corrimento acompanhado de odor, deve procurar um ginecologista para iniciar o tratamento adequado. "O tratamento deve ser feito com antibiótico em dose única ou por sete dias, via oral ou via vaginal, e acidificação do meio vaginal", explica a profissional.

Além disso, algumas pacientes podem apresentar vaginose bacteriana recorrente e o tratamento deverá ser feito por um  período maior. Porém, existem alguns cuidados básicos que podem contribuir na prevenção da doença:

- Não utilizar fragrâncias na região íntima

- Evitar roupas muito justas e de material sintético

- Não utilizar sabonetes comuns (prefira os sabonetes íntimos)

- Evitar duchas vaginais

- Evitar calcinha fio dental, pois promove a proliferação de bactérias.

O essencial é buscar ajuda o quanto antes, pois, apesar de ser um problema comum entre as mulheres, não deve ser deixado sem tratamento. Afinal de contas, uma saúde íntima em dia colabora para o bem-estar.

Você já sofreu com vaginose bacteriana? Qual foi o tratamento escolhido para eliminar o problema? Não deixe de comentar e dividir a sua experiência com outras leitoras. E aproveite para conferir mais dicas de saúde aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
corrimento
endometrite
ardência vaginal
odor vaginal

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ