Mulher

07/03/2016 04:00 - Atualizado em 03/12/2016 05:50

Com tantos absorventes no mercado, como escolher o melhor?

Qualquer que seja o tipo, o absorvente deve ser substituído para evitar infecções.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Existem diversos tipos de absorventes íntimos disponíveis no mercado: com ou sem abas, com cobertura seca ou suave, grossos ou finos, em diferentes tamanhos, internos ou não. Escolher entre tantas opções, às vezes, parece uma tarefa complicada. Porém, basta avaliar o próprio estilo de vida para acertar na compra.

Segundo a ginecologista e obstetra Fernanda Escopelli, a mulher deve levar em consideração um simples detalhe: “É importante que ela avalie qual tipo lhe proporciona mais segurança e conforto”. A seguir, veja outras dicas da especialista e decida-se pelo melhor absorvente para o seu caso.

absorventes sobre a mesa

Qual o melhor absorvente?

Depende apenas de sua escolha. Uma boa dica é comprar pacotes pequenos de cada opção e utilizar um por dia. Ao fim dos testes, você poderá eleger a versão favorita. Fernanda indica que “os absorventes com cobertura suave são menos irritativos à pele que os de cobertura seca”.

Um detalhe importante e que deve ser levado em questão no momento da compra é a presença de essência ou não no produto. As versões perfumadas, que servem para disfarçar o odor da menstruação, podem não ser a melhor escolha. “Eles podem causar irritação cutânea, alergias, fissuras e infecções”, explica a ginecologista. 

Outro cuidado é quanto à troca do artigo íntimo. A jovem que permaneceu com o absorvente interno por muitas horas e desenvolveu uma infecção virou notícia e o fato assustou muitas mulheres. Esse problema pode ser evitado se você trocar os absorventes sempre que possível. “O interno é removido facilmente puxando-se a cordinha que fica pendurada para o lado de fora”, lembra Fernanda.

O período de troca dos absorventes, de acordo com ela, varia conforme o fluxo menstrual de cada mulher. A substituição pouco frequente pode causar odores desagradáveis e a proliferação de bactérias e fungos, que levam a infecções vaginais. “Recomenda-se a troca do absorvente intimo de três a quatro horas, ou quando estiver cheio.”

Coletor menstrual substitui absorventes

Algumas mulheres torcem o nariz, mas outras já decidiram conhecer. O coletor menstrual nada mais é que um copinho de silicone flexível, que deve ser introduzido na vagina para coletar o sangue. A grande vantagem dessa opção está na sustentabilidade, visto que os absorventes apresentam um longo período de decomposição, enquanto o acessório pode ser reutilizado por anos.

A troca do coletor menstrual deve ser feita a cada 12 horas, geralmente. O copo deve ser higienizado antes de ser reintroduzido na vagina. Apesar de econômica, porém, a opção também pode ser perigosa. "Ele não causa alergias, mas por outro lado pode propiciar infecções vaginais", alerta Fernanda. Para evitar esses problemas, lave-o e armazene-o de maneira correta e segura.

E então, tirou suas dúvidas? Conte para nós! Aproveite ainda para conferir outras dicas de saúde e beleza aqui no Vivo Mais Saudável. E não se esqueça de compartilhar o conteúdo com suas amigas!

TAGS
higiene
saúde íntima
menstruação
ciclo menstrual

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ