Mulher

06/04/2015 03:34 - Atualizado em 07/11/2016 04:02

Cigarro na gravidez prejudica a saúde do bebê

Grávidas fumantes expõem os filhos a toxinas perigosas para o desenvolvimento fetal.

POR

Redação

  • +A
  • -A

“Quer que o meu filho nasça com cara de melancia?”, dizem as mães com desejo de comer a fruta durante a gestação. Pois saiba que essa brincadeira pode não ser tão engraçada para quem faz uso do cigarro na gravidez. Um estudo da Universidade de Durham, no Reino Unido, comprovou que gestantes que fumam podem provocar danos ao rosto do bebê.

Os pesquisadores avaliaram 80 ecografias, focando a atenção nos movimentos faciais. Eles descobriram que as mães fumantes prejudicavam o sistema nervoso do feto, fazendo com que eles desenvolvessem mais movimentos na boca.

A investigação é ponto de partida para novas pesquisas sobre a relação da gestação com o tabagismo. Conheça os prejuízos provocados pelo cigarro na gravidez.

cigarro na gravidez

Por que não consumir cigarro na gravidez?

O vício do cigarro na gravidez, principalmente durante os três primeiros meses, aumenta o risco de aborto espontâneo, descolamento da placenta, sangramentos e parto prematuro. Como se não bastasse, é possível também que o bebê desenvolva problemas de saúde congênitos.

Na barriga, o feto consegue absorver tudo que está no sangue materno. Quando a mãe fuma, é liberado monóxido de carbono na corrente sanguínea, através da fumaça. Desse modo, é como se o bebê também consumisse o cigarro fumado durante a gravidez.

Outro problema de fumar na gestação é que a nicotina estreita os vasos sanguíneos e faz com que menos nutrientes e oxigênio cheguem até o feto, acarretando problemas sérios de desenvolvimento. O bebê pode ficar mais frágil e abaixo do peso.

Coágulos costumam se formar na placenta da mãe fumante. Isso provoca uma evolução de insuficiência placentária, quando essa proteção do bebê não consegue mais levar oxigênio e nutrientes ao organismo em desenvolvimento. Em casos graves, o bebê pode ser abortado em função da trombose na placenta.

Crianças que entram em contato com as substâncias tóxicas do cigarro durante seu desenvolvimento fetal também correm riscos de sofrer embolia pulmonar. Nessa situação, um coágulo pode se descolar da veia e atingir o pulmão, ocasionando falta de ar e dores no momento da respiração.

Dependendo do tamanho do coágulo, o feto pode sofrer com insuficiência respiratória aguda.

Mães fumantes causam danos nos filhos

Não é apenas cigarro na gravidez que pode prejudicar as crianças. Fumar próximo a elas também é perigoso. Segundo um estudo publicado pela Associação Americana do Coração, pais que consomem tabaco em frente aos filhos podem provocar neles chances maiores de problemas cardíacos, como placas na carótida.

Na investigação, os cientistas utilizaram informações obtidas com crianças da Finlândia entre os anos de 1980 e 1983. Os estudiosos foram capazes de identificar aquelas que viviam em ambientes com fumantes apenas pelo nível de cotinina presente em suas amostras de sangue. Essa substância se desenvolve pela exposição à fumaça do cigarro.

Posteriormente, foram correlacionados a esses dados os exames feitos com a artéria carótida desses indivíduos entre 2001 e 2007. Na conclusão, percebeu-se que aqueles com pais fumantes tinham duas vezes mais chances de desenvolver placas na carótida durante a fase adulta. Esse problema é muito associado aos casos de derrame cerebral.

E você, já conseguiu largar o cigarro? Conte para nós! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para conferir dicas de saúde e ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
gestação
fumar
cigarro
desenvolvimento do feto

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ