Mulher

01/12/2014 12:00 - Atualizado em 02/12/2016 11:07

Camisinha feminina é opção na prevenção de DST

Conheça a camisinha feminina e os principais cuidados para utilizá-la na relação sexual.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Ainda pouco conhecida e utilizada no país, a camisinha feminina é uma opção para a prevenção da Aids, das hepatites virais e de diversas outras DST - as doenças sexualmente transmissíveis. Da mesma forma que a opção masculina, ela também é um método contraceptivo e evita a gravidez não desejada.

O preservativo da mulher é feito de poliuretano, um material um pouco mais fino que o látex da camisinha que envolve o pênis. É também mais lubrificado, de forma a não causar incômodo no atrito com o canal vaginal.

Mas por ser um tipo menos utilizado de proteção, muitas vezes pode ser utilizado de forma equivocada. Com isso, requer alguns cuidados a mais, que não são muito diferentes daqueles observados no uso da versão masculina, em especial com a prática.

camisinha-feminina

Diferenças da camisinha feminina

Justamente por ficar dentro do canal vaginal, a camisinha feminina não pode ser usada ao mesmo tempo em que a masculina, pois isso aumentaria o atrito e acabaria rasgando um ou os dois tipos de preservativo.

A camisinha feminina se assemelha a uma “bolsa”, tendo 15 centímetros de comprimento e 8 cm de diâmetro. Ela é formada por dois anéis flexíveis. Um deles é móvel e fica na extremidade fechada, servindo de norte para a acomodação no fundo da vagina. O segundo anel fica na outra ponta, mas é aberto e cobre a vulva, a parte externa da vagina.

Sua mente ajuda ou atrapalha seu bem-estar? Faça o teste e descubra.

Cuidados no uso da camisinha feminina

Assim como o preservativo masculino, a versão feminina precisa de cuidados para não estourar ou rasgar. O armazenamento deve ser feito em local afastado do calor e de objetos perfurantes. Uma vantagem em relação à camisinha masculina é que ela pode ser colocada até oito horas antes da relação.

A camisinha feminina deve ser retirada com tranquilidade após o término da relação. O Ideal é que isso seja feito antes de a mulher levantar-se, para evitar que o esperma escorra pelo preservativo.

Externamente, ela já vem lubrificada; Mas se for preciso uma lubrificação extra, devem ser utilizados lubrificantes de base oleosa fina e não aquosa, como nos preservativos de látex. Outra diferença é que o lubrificante é aplicado na parte interna do item.

A melhor forma de introduzir a camisinha feminina é com a mulher em uma posição confortável. Pode ser em pé, com uma das pernas apoiadas sobre uma cadeira, sentada, com os joelhos afastados, agachada ou mesmo deitada.

Avalie seu condicionamento físico e melhore seus resultados

Outras informações importantes

O anel móvel da camisinha feminina deve ser apertado e introduzido com cuidado na vagina. Com o dedo indicador, empurre-o o mais profundamente possível, até alcançar o colo do útero. O anel fixo, na outra extremidade, deve ficar aproximadamente 3 cm para fora da vagina: a penetração é feita por dentro dessa argola.

Com o vaivém da penetração, é normal que a camisinha se movimente. Mas se o anel externo for empurrado para dentro, é preciso segurá-lo ou aplicar mais lubrificante.

Ao término da relação sexual, o preservativo deve ser retirado a partir do anel externo. O ideal é torcer a extremidade externa da camisinha para garantir que o sêmen não vaze. Depois, basta puxar o preservativo para fora com cuidado e descartá-lo na lixeira.

Gosta das nossas dicas de sexualidade? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
camisinha
saúde feminina
DSTs
contraceptivos

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ