Homem

25/10/2014 02:30 - Atualizado em 09/12/2016 08:10

Reposição hormonal masculina: Veja vantagens e desvantagens

Reposição hormonal masculina deve ser realizada sob orientação médica.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Assim como acontece com a mulher, ao envelhecer os homens também passam por um período de mudanças hormonais. O DAEM (Declínio Androgênico do Envelhecimento Masculino) é uma condição que consiste na diminuição progressiva nos níveis de testosterona, geralmente após os 40 anos. É importante ressaltar, entretanto, que enquanto todas as mulheres têm menopausa, entre os homens apenas 10 a 30% apresentam os sintomas de declínio hormonal.

Sintomas do declínio hormonal

Os sintomas podem ser divididos em três esferas: física, psíquica e sexual. Fisicamente, o homem percebe uma diminuição da massa muscular e consequente aumente da gordura visceral, aquela localizada na região do abdômen, também conhecida como barriga de cerveja. Além disso, assim como nas mulheres, é possível detectar a perda de densidade mineral óssea, causando osteoporose e osteopenia e consequentemente aumentando o risco de fraturas. Também podem ocorrer alterações na pele e perda de pelos.

reposicao-hormonal-masculina

No âmbito psíquico, é possível atribuir ao declínio sintomas como alteração de humor, fadiga, depressão e irritabilidade. Com a queda do hormônio há ainda a diminuição da capacidade cognitiva. Todos esses fatores reduzem a qualidade de vida e a autoestima do paciente. Os sintomas sexuais são os primeiros a aparecer em um diagnóstico de DAEM, eles se caracterizam fundamentalmente pela diminuição do desejo sexual.

Atualmente, com o aumento da expectativa de vida, cresce também o número de prevalência da doença. Para quem sofre com a diminuição, o recomendado é a reposição hormonal masculina. O tratamento de reposição hormonal masculina é feito com a reposição de testosterona, que hoje está disponível em forma de oral (comprimido), injetável e transdérmica. Isso garante vitalidade de vida a longo prazo.

Cuidados com a reposição hormonal masculina

Entre as contraindicações da reposição hormonal masculina, é possível destacar as absolutas e relativas. Entre as absolutas – ou seja, que impossibilitam o tratamento – destacam-se câncer de próstata, mama e hipófise. Já entre as contraindicações relativas, ou seja, que devem ser tratadas porém não evitam uma reposição posterior, pode-se destacar a hipertrofia prostática, apneia do sono e insuficiência cardíaca.

Já entre os benefícios da reposição hormonal masculina é possível salientar que os sintomas e problemas apresentados pela DAEM tendem a desaparecer, proporcionando assim uma melhor no desenvolvimento cognitivo do paciente bem como em uma melhora de qualidade de vida relacionada ao aumento da autoestima. Além disso, a reposição hormonal masculina também é capaz de reverter quadros de perda de capacidade óssea e muscular bem como de restaurar a libido perdido devida a baixa na produção da testosterona.

Reposição hormonal masculina para a libido

Ainda que você não consiga identificar sintomas de uma perda hormonal, o recomendável é que o homem meça anualmente seu hormônio testosterona após os 40 anos. Além disso, é fundamental manter uma conversa franca com o seu urologista, mesmo em situações desconfortáveis para o homem, como é o caso da redução da libido.

A quebra de barreiras é o primeiro passo para uma reposição hormonal masculina de sucesso e capaz de lhe devolver as características que tendem a ser comuns nos homens de menos idade. Reposição hormonal masculina não é apenas a possibilidade de uma melhora de libido, mas uma garantia de melhora de vida como um todo, desde que sob orientação e recomendação médica.

E aí, gostou das dicas? Então deixe um comentário! E não esqueça de acompanhar nossa página no Facebook para receber todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
reposição hormonal
saúde

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ