Homem

09/06/2015 04:33 - Atualizado em 26/11/2016 10:01

Reposição de testosterona ajuda a reverter sinais do tempo

Os níveis do hormônio caem com o tempo, mas ele pode ser reposto para melhorar funções orgânicas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Com o avanço da idade, muitos homens podem precisar passar por uma reposição de testosterona. Esse hormônio é o principal do organismo masculino.

Produzido naturalmente, é responsável por desenvolver características como engrossamento da voz, crescimento de pelos, aumento do pênis, produção de espermatozoides e força muscular. Porém, quando há níveis baixos no organismo, o homem pode perder o interesse sexual e apresentar fadiga, mau humor, perda de massa óssea, insônia e acúmulo de gordura.

Nesses casos, é necessário buscar um endocrinologista ou urologista para iniciar um tratamento de reposição de testosterona. Saiba mais.

Como funciona a reposição de testosterona?

Cerca de 15% dos homens entre 50 e 60 anos apresentam uma redução do hormônio masculino. O índice aumenta para 50% na casa dos 80 anos, o que pode exigir uma reposição de testosterona. Conforme o corpo envelhece, é comum que ocorra essa diminuição gradativa, mas não sem apresentar alguns sintomas desagradáveis.

reposicao de testosterona

O declínio do interesse por sexo e a dificuldade de ereção são os maiores motivos de preocupação por parte dos homens. Além disso, o ganho de peso e a queda da musculatura ocasionam mau humor e quadros depressivos. Por isso, repor os hormônios pode ser necessário por questões não apenas de saúde, mas de autoestima.

Mesmo que a testosterona esteja em baixa, o homem não se torna infértil, mas pode ter dificuldades para produzir os espermatozoides. Na terapia de reposição, os sintomas da queda hormonal são combatidos. Além disso, o procedimento não possui contraindicações e pode ser feito com injeções, gel ou adesivos para a pele.

Para começar a reposição de testosterona, o homem deve se submeter a exames que comprovem a queda na taxa hormonal. O acompanhamento médico é fundamental, pois é o profissional que pode detectar se é ou não seguro realizar os procedimentos. Casos de câncer de próstata ou de mama masculina requerem tratamento prévio antes da injeção de hormônios.

Importância da testosterona para o homem

Como é responsável por grande parte dos comportamentos masculinos, a testosterona também regula a libido e o desejo por sexo. Entre os 17 e os 30 anos de idade, ela atinge seu ápice de produção, decaindo cerca de 0,5% a 1% ao ano a partir de então. O problema é que, junto com a queda, a massa muscular, a massa óssea e o interesse sexual também decaem.

Ligado também ao processo metabólico do corpo do homem, esse hormônio produz energia e regula o trabalho das gorduras e dos músculos. Quem possui um estilo de vida saudável, alimenta-se corretamente, não fuma e pratica exercícios físicos com frequência garante um corpo sadio, sono de qualidade e retardo na queda de testosterona e nos seus sintomas.

O tratamento de reposição é feito com medicamentos, mas os anabolizantes usados para ganhar músculos e melhorar o desempenho em esportes e musculação não são recomendados. O excesso causa efeitos colaterais e até mesmo danos irreversíveis à saúde.

Quando feita corretamente, a reposição de testosterona melhora a libido, aumenta a massa muscular, fortalece os ossos e auxilia na perda de peso. Em excesso, deixa o homem agressivo e desregula as funções orgânicas. Por isso, deve sempre ser feita sob recomendação médica.

Gostou das dicas de saúde? Deixe um comentário! E aproveite para acompanhar as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
hormônio masculino
ereção
massa muscular
libido

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ