Homem

11/03/2015 08:36 - Atualizado em 26/11/2016 02:24

Obesidade mórbida causa problemas cardíacos e disfunção erétil

Outra complicação da obesidade mórbida é a diminuição na expectativa de vida.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A obesidade mórbida é considerada uma doença grave e que precisa de tratamento. Uma das principais causas do problema é o excesso alimentar combinado com um modo de vida sedentário. Outros fatores também podem contribuir para a elevação do peso, desencadeando complicações como doenças cardíacas e infertilidade. Veja como reverter esse quadro.

obesidade morbida

O que é a obesidade mórbida

Segundo a Associação Brasileira para Estudo da Obesidade, existem cerca de 4 milhões de obesos mórbidos no Brasil, aproximadamente 2% da população. A obesidade mórbida é diagnosticada em casos de pessoas que estejam 50kg ou mais acima do peso corporal ideal ou que tenham um Índice de Massa Corporal (IMC) igual ou superior a 40.

Para definir o grau de obesidade, é preciso calcular o IMC, que utiliza uma fórmula matemática com a estatura e o peso da pessoa. Basta dividir o peso pela altura ao quadrado (IMC = kg/m²). Aqueles que tenham índice acima de 40 são considerados obesos mórbidos.

Os cálculos e resultados do IMC valem para todas as idades e para ambos os sexos. Porém, vale lembrar que o valor do índice é apenas indicativo, pois não considera a constituição física da pessoa. Por isso, para ter uma avaliação mais completa e precisa, é necessário procurar a orientação de um profissional.

obesidade morbida

Complicações da obesidade mórbida

A obesidade mórbida é uma doença crônica e contribui para a elevada incidência de outras complicações à saúde. A principal consequência é a redução significativa da qualidade e do limite de vida. Cerca de 30% das causas de morte no Brasil estão associadas à obesidade e a doenças que podem ser consequentes, como diabetes, hipertensão e problemas cardíacos.

O risco de morte por ataque cardíaco é de cinco a sete vezes maior para obesos mórbidos. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, a obesidade é um dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares. A hipertensão arterial também aumenta as chances de problemas como insuficiência cardíaca, arritmias, morte súbita e acidente vascular cerebral.

Além disso, o peso corporal elevado também reduz a libido, causa disfunção erétil e infertilidade nos homens. Isso ocorre porque os níveis de hormônio masculino e a quantidade de espermatozoides diminuem consideravelmente. Os homens acima do peso podem ter uma redução de até 24% na concentração de espermatozoides no sêmen.

A obesidade mórbida também leva à ocorrência de outros problemas, como elevação do colesterol e dos triglicerídeos, varizes e má circulação sanguínea, apneia do sono, mau funcionamento do fígado, pedra na vesícula, doenças articulares, incontinência urinária, câncer no intestino ou de próstata e depressão.

Atualmente, o único tratamento efetivo para a obesidade mórbida é o procedimento cirúrgico, que é analisado e feito de acordo com cada caso. A cirurgia é capaz de reduzir o peso e as comorbidades (doenças relacionadas) a longo prazo, aumentando, assim, a expectativa de vida.

Gostou das dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar por dentro de todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
obesidade
câncer de próstata
doenças cardíacas
sedentarismo

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ