Homem

22/10/2014 01:19 - Atualizado em 29/11/2016 06:27

Impotência e incontinência urinária são as principais preocupações

Brasil já tem cirurgia urológica robótica com vantagens para o pós-operatório.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O Vivo Mais Saudável conversou com o urologista Rodrigo Frota, referência em cirurgia urológica robótica e médico urologista do grupo de cirurgia robótica no Hospital Samaritano, para entender mais sobre o assunto e saber o que este avanço tecnológico representa para os pacientes.

Veja se a sua saúde está em dia. Faça o teste Meus Check-ups

 

Nos EUA, 90% das cirurgias urológicas são robóticas. Em 2014 já sao aproximadamente dois mil robôs cirúrgicos a disposição dos médicos. No Brasil, esta é uma realidade ainda distante. Mas, há alguns anos, hospitais de referência oferecem este tipo de cirurgia considerada menos invasiva.

No Rio de Janeiro, a cirurgia urológica robótica é realizada no Inca (Instituto Nacional do Câncer) e no Hospital Samaritano. Em São Paulo, nos hospitais Nove de Julho, Albert Einstein, Sírio Libanês e Oswaldo Cruz.

Avalie a saúde do seu coração no teste Risco Cardíaco

Por que impotência e incontinência urinária?

Incontinência

Quando a próstata é retirada, na cirurgia de prostatectomia radical, fica um espaço entre a bexiga e a uretra que precisa ser unido novamente no procedimento cirúrgico. Um dos inconvenientes do período pós-operatório,  é a incontinência urinária.

Por aproximadamente 1 ano, o paciente pode ter que recorrer à fralda geriátrica dependendo de como seja sua rotina para que o corpo reaprenda a controlar o sistema urinário após a cirurgia. Entre 5 a 10% dos pacientes podem permanecer com algum grau de incontência.

“Geralmente, na cirurgia robótica, o paciente retoma a continência urinária em até 3 meses, podendo ser esta recuperação em uma semana ou raramente em até um ano depois”, explica o urologista Rodrigo Frota.

Impotência

A impotência, sem dúvida, é o fator que mais preocupa os homens que, importante ressaltar, já sofrem alterações na ereção entre 50 e 60 anos de idade, faixa etária do câncer de próstata. Rodrigo Frota esclarece que relacionar a ereção à próstata é um grande mito. “O que ocorre é que o nervos responsáveis pela ereção passam muito perto da próstata. Muitas vezes, estes nervos são lesados durante a cirurgia. O índice de impotência no pós-operatório chega a 90%”, esclarece o urologista. 

“Na cirurgia robótica, como o cirurgião tem maior magnificação de imagem em 3D, melhor liberdade e mais precisão de movimentos, na maioria das vezes conseguimos preservar estes nervos”, avalia Rodrigo.

Mas atenção, não significa que o paciente vai ficar potente, mas índices mostram que nas cirurgias robóticas a probabilidade de impotência cai de 90% para 40%. 

Descubra como anda sua Saúde Emocional

E não esqueça de acompanhar nossa página no Facebook para ficar ligado nas novidades do Vivo Mais Saudável.

 

TAGS
incontinência urinária
impotência
novembro azul
urológica robótica
câncer de próstata
cirurgia

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ