Homem

24/06/2015 01:25 - Atualizado em 03/12/2016 08:10

Hipospádia causa dificuldades para urinar no homem

Malformação na uretra, a hipospádia pode provocar danos físicos e psicológicos aos meninos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você já ouviu falar em hipospádia? Esse é um problema urinário exclusivamente masculino, causado pela malformação congênita do aparelho genital. É caracterizado pela uretra curta, que não atinge a glande do pênis, se abrindo na parte de baixo da cabeça.

Na infância, já é possível detectar se o problema é leve ou grave. Em alguns casos, a uretra chega quase até a glande. Em outros, o orifício uretral está no escroto ou próximo ao ânus, no períneo. Dessa forma, a urina sai para baixo e não em linha reta, sendo necessário urinar sentado, o que afeta o bem-estar do paciente.

hipospadia

Como a hipospádia é identificada

Por ser um problema de causas genéticas, celulares ou hormonais, quando há poucas enzimas sendo produzidas, a hipospádia pode ser diagnosticada ainda quando criança. É comum também que ocorra uma curvatura do pênis para baixo quando ereto, já que o corpo esponjoso que envolve a uretra não se desenvolve corretamente.

Os homens com essa malformação também costumam apresentar pele de prepúcio em excesso, cobrindo mais o pênis na parte de cima que de baixo. Esse problema é chamado de capuchão de prepúcio e, por ser bem visível, é o que mais chama atenção para iniciar o diagnóstico.

A anomalia no pênis faz com que os meninos pequenos molhem as roupas por não conseguirem urinar em pé. Além disso, a forma da genitália é diferente do considerado normal pelo capuchão e ereção curvada. Por isso, recomenda-se a cirurgia de reconstrução do órgão o quanto antes.

Como tratar a hipospádia

Para corrigir a hipospádia, é necessário realizar uma cirurgia que refaz a uretra, desfaz a curvatura e remove o capuchão. Existem inúmeras técnicas distintas para o tratamento. Geralmente, a uretra é refeita com pele do próprio prepúcio ou mucosas da bexiga e da boca. Se for necessário, o médico pode realizar transplantes de pele de outras regiões do corpo.

O urologista irá recomendar procedimentos cirúrgicos diferentes para cada paciente, de acordo com cada caso. É necessário muito cuidado, pois existem consequências estéticas sérias caso o médico não tenha experiência em cirurgias reconstrutivas no pênis, que podem deformar ainda mais o órgão e comprometer sua funcionalidade.

Depois de reconstruída a uretra, o paciente poderá urinar em pé, ter uma melhor estética do pênis e evitar consequências psicológicas dos órgãos malformadas, o que garante um futuro sexual normal. Em geral, é necessária apenas uma cirurgia com pouco tempo de permanência no hospital.

Logo após o nascimento e diagnóstico da hipospádia, já é possível iniciar um tratamento. O ideal é que não se realize a circuncisão no menino, pois a pele do prepúcio é a melhor para realizar o transplante que reconstruirá a uretra. Em alguns casos, pode ser necessário utilizar repositores hormonais no período pré-operatório.

Recomenda-se realizar a cirurgia entre os seis meses e um ano e meio de vida, para reduzir os traumas emocionais conforme a criança cresce. Por ser uma operação complicada, procure apenas cirurgiões plásticos e urologistas com experiência no tratamento da malformação. A escolha da técnica adequada é fundamental para evitar os danos físicos e psicológicos.

Como em outras doenças e distúrbios, buscar auxílio médico rápido é a melhor forma de lidar com a hipospádia. Se você gostou do artigo, deixe um comentário! E fique por dentro das novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
pênis
malformação
urologista
saúde do homem

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ