Homem

11/09/2015 03:07 - Atualizado em 10/12/2016 01:22

Feridas na região íntima são sinal de donovanose

Úlceras e nódulos com sangramento fácil são os principais sintomas.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A donovanose é uma doença infecciosa, causada pela bactéria Klebsiella granulomatis. O problema afeta a região íntima do homem, comprometendo a genitália, a virilha e o ânus com feridas (úlceras) e irritações na pele.

Dr. Manoel Guimarães, médico urologista, explica que de forma geral a doença é mais comum em pacientes entre 20 e 40 anos. Além disso, estudos revelam uma maior prevalência da doença na região Norte do Brasil.

homem no consultorio medico com donovanose

Transmissão e diagnóstico da donovanose

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Infectologia, a donovanose é transmitida pelo contato direto com a pele acometida pelas úlceras, durante a relação sexual. No entanto, a entidade alega que há controvérsias sobre o assunto, uma vez que crianças e adultos com vida sexual inativa também já foram vítimas da doença, em casos mais raros.

Dr. Guimarães explica que os sintomas da donovanose podem envolver nódulos e feridas avermelhadas nos órgãos genitais, que costumam sangrar com facilidade. Durante a infecção, a região íntima é acometida por úlceras e caroços. Em casos mais severos, o problema pode atingir regiões maiores, lesionando a pele e facilitando a infecção por outras bactérias.

Segundo o profissional, as lesões não costumam causar dor e, por isso, a procura por cuidado médico acaba sendo adiada. Quando a pessoa resolve buscar ajuda, muitas vezes, já está em risco de sofrer com complicações.

Saiba Mais
Sífilis: Conheça as causas e veja como enfrentar a doença
Descubra como prevenir e tratar o herpes bucal
Gonorreia masculina pode provocar infertilidade

O tratamento da donovanose envolve administração de antibióticos e uma avaliação cuidadosa. Após o fim do período medicamentoso, é fundamental voltar ao consultório ou hospital para identificar se a infecção está curada.

Quando não tratada, a doença pode durar semanas, causando um grande desconforto ao paciente e podendo progredir para um quadro mais grave. Durante o período de infecção, é fundamental que não haja contato sexual.

Prevenção: Camisinha é importante

Considerada uma doença sexualmente transmissível (DST), a donovanose também pode ser prevenida por meio do uso do preservativo. A camisinha contribui para que não haja contato direto dos órgãos sexuais e, no caso de um parceiro infectado, a doença não é transmitida.

Entre 2014 e 2015, houve um aumento de 30% no número de pessoas que iniciaram o tratamento com antirretrovirais no Brasil. O crescimento da incidência de DSTs preocupa os órgãos reguladores, que apostam em campanhas de conscientização sobre o uso do preservativo.

No entanto, pesquisas revelam que muitas pessoas, mesmo sabendo da importância desse hábito, ainda mantêm relações sexuais sem a camisinha.

Além da proteção, é importante estar atento ao aspecto dos órgãos genitais para a identificação de um possível problema. O diagnóstico precoce de qualquer DST contribui para uma maior chance de cura e, principalmente, para garantir mais saúde ao indivíduo.

Você já conhecia a donovanose? Deixe seu comentário! E aproveite para continuar de olho nas dicas de saúde do Vivo Mais Saudável. Estar atento a métodos preventivos ajuda a manter o organismo em dia.

TAGS
dst
feridas no pênis
doença venérea
camisinha

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ