Homem

06/10/2014 11:14 - Atualizado em 08/12/2016 05:49

Excesso de pele no prepúcio nem sempre necessita de cirurgia

Excesso de pele no prepúcio é diferente da fimose.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Problemas relacionados ao pênis ainda são visto como tabus por boa parte dos homens. Seja por timidez ou por insegurança, muitos ainda evitam o assunto ou negam-se a abordar o tema, favorecendo complicações que poderiam ser evitadas. O excesso de pele no prepúcio é um dos casos que deixa muitos homens em dúvida. De ocorrência relativamente comum, o problema é diferente da fimose e nem sempre precisa ser tratado cirurgicamente.

O excesso de pele no prepúcio

O prepúcio é a pele que envolve a glande do pênis. Quando o pênis fica ereto, o prepúcio desloca-se, expondo a glande. Nos casos de excesso de pele no prepúcio, pode haver dificuldade em expor a glande totalmente. Além disso, existe a chance de haver hipersensibilidade no local, pelo fato de a glande ficar praticamente toda a parte do tempo encoberta.

Excesso de pele no prepúcio

Normalmente, é possível conviver com essa situação sem maiores problemas. Deve-se tomar cuidado, no entanto, para a higiene do pênis. Lavar o órgão com sabão neutro, expondo a glande, é fundamental para evitar que fungos ou bactérias proliferem-se no local, dando origem a infecções ou, em casos extremos, câncer.

Fimose e excesso de pele no prepúcio são diferentes

A fimose ocorre quando não é possível deslocar o prepúcio e expor a glande do pênis. Nesse caso, há um anel muito estreito que impede que a cabeça seja exposta. Quando a fimose é detectada - geralmente antes de o menino chegar aos dez anos -, é necessário retirar o prepúcio de forma cirúrgica, em virtude, também, da elevação do risco de doenças, por ser impossível higienizar o local corretamente.

Casos extremos de fimose impedem inclusive que a urina seja expelida, provocando muita dor pelo esforço demasiado da bexiga. Em outros casos, a dor aparece quando o menino inicia sua vida sexual ou mesmo na masturbação, já que o anel não permite que o prepúcio seja deslocado.

Cirurgia nem sempre é necessária

Esclarecidas as diferenças entre fimose e excesso de pele no prepúcio, é preciso destacar que o caso de excesso de pele nem sempre precisa ser tratado de forma cirúrgica. A cirurgia será recomendada apenas se houver hipersensibilidade no local ou dificuldade para higienização.

Em boa parte das vezes, o que motiva o homem a fazer a cirurgia é o fator estético. Recomenda-se, de qualquer forma, que um urologista seja consultado para sanar qualquer tipo de dúvida em relação tema. Somente ele tem plena capacidade para diagnosticar um possível problema e encaminhar para a cirurgia, se for o caso.

Como acontece o procedimento cirúrgico

A cirurgia é relativamente simples. Nos adultos, é feita uma anestesia local e, em crianças, anestesia geral. A recuperação é simples e leva em torno de uma semana, mas a recomendação é de que as relações sexuais sejam evitadas até trinta dias após a cirurgia. Nunca é demais lembrar que não há risco de o procedimento causar disfunção erétil ou impotência sexual de qualquer tipo.

Gostou das dicas? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
saúde
saúde do homem

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ