Homem

15/03/2015 03:58 - Atualizado em 22/11/2016 01:39

Entenda como funciona o teste de paternidade

Teste de paternidade garante segurança na hora de analisar relação genética entre pai e filho.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Os mistérios da genética se revelam através do teste de paternidade. O DNA é formado por nucleotídeos, pequenos blocos que se repetem em diferentes combinações em cadeia. Entre um ser humano e outro, no entanto, as diferenças de composição são mínimas.

Para saber se há parentesco entre duas pessoas, são analisadas sequências do DNA. Comprovadas as semelhanças, é atestada a relação genética entre os envolvidos. Saiba mais sobre o teste de paternidade e como ele funciona.

teste de paternidade

Teste de paternidade tem procedimento simples

Depois de agendar a realização do teste de paternidade na clínica de sua confiança, todos os envolvidos na perícia devem se apresentar com documentos originais para comprovar a identidade. Menores de idade precisam de autorização do responsável e apresentação da certidão de nascimento.

Quem participa do exame preenche e assina formulários de identificação e coleta.

Todos os envolvidos participam da retirada de material genético, em uma coleta testemunhal. Os comprovantes são assinados por cada pessoa que contribuiu para o teste. Em geral, é feito um pequeno furo no dedo médio da pessoa, que forma gotas de sangue retiradas para um kit de coleta especial para o exame.

De forma discreta, as amostras biológicas são levadas para análise. Nenhuma pessoa além dos laboratoristas pode ter acesso aos dados.

O teste de paternidade obtém os resultados depois da avaliação e comparação dos leucócitos sanguíneos da mãe, do filho e do suposto pai. Nesse mapa genético, avaliam-se os nucleotídeos por meio da técnica de reação em cadeia de polimerase, que amplifica o DNA.

Na testagem, é examinado apenas um trecho bem específico de nucleotídeos, conhecido como polimórfico, que varia de pessoa a pessoa. Os médicos analisam 13 a 19 trechos dos polimórficos, verificando sempre as mesmas repetições.

Dessa forma, a. O DNA do pai é comparado com o do filho e o da mãe, verificando se há o mesmo número de blocos em cada trecho. 

Resultado do teste de paternidade é praticamente incontestável

O procedimento começa separando o DNA do restante das outras células, utilizando detergentes e centrifugações. Os pedaços de DNA sintéticos são então aplicados, marcados com corante, e ligam-se aos trechos a serem examinados. Em uma técnica chamada eletroforese, os pedaços do material genético se separam por uma corrente elétrica.

Um equipamento a laser faz a leitura dos corantes e cria uma imagem digitalizada para análise dos médicos. O exame dos resultados é feito com um software que faz os cálculos de forma segura, checando cada troca ou possível duplicação de amostras. A tecnologia e o processo específico do teste de paternidade garantem 99,9% de veracidade do resultado.

Um laudo técnico é emitido, a fim de relatar a negativa ou positiva para a compatibilidade entre pai e filho. Os exames podem ser feitos mesmo depois que um dos membros esteja morto, retirando-se materiais genéticos como cabelos e pedaços de unha. Os dados do relatório finam incluem processo de coleta, identificação e metodologia de análise.

Dificilmente um documento tão importante pode ser trocado ou sofrer alguma modificação. Nesse caso, a tecnologia também garante a segurança, sendo que algumas amostras podem até mesmo ser rastreadas com sensor GPS.

Gostou das dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
paternidade
pais e filhos
família
DNA

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ