Homem

18/09/2015 07:17 - Atualizado em 01/12/2016 08:40

DST: Previna-se do linfogranuloma venéreo

O problema nem sempre é percebido no início, exigindo cuidados e atenção para qualquer alteração o corpo.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você já ouviu falar em linfogranuloma venéreo? Essa é uma doença sexualmente transmissível caracterizada pelo aparecimento de uma lesão genital, que se apresenta como uma ferida ou como uma elevação da pele. Mais comum em homens, ela pode ser confundida com outras doenças, como sífilis e herpes genital.

As feridas cheias de líquido na região íntima são indolores e, muitas vezes, não são facilmente percebidas. Por isso, é preciso ficar atento e sempre se prevenir, usando preservativo em todas as relações sexuais.

Entenda o que é linfogranuloma venéreo

Conhecido pelos nomes populares de "mula" ou "bubão", o linfogranuloma venéreo é uma infecção crônica causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, que atinge os genitais e os gânglios da virilha. A transmissão da doença ocorre pelo sexo desprotegido com uma pessoa infectada.

homem com linfogranuloma venereo no consultorio com medica

As lesões genitais causadas pelo linfogranuloma venéreo podem ser confundidas com outros tipos de doenças sexualmente transmissíveis ulcerativas, como sífilis e herpes genital. Se não for corretamente diagnosticado e tratado, o problema pode causar complicações que incluem o aumento das ulcerações da genitália e obstrução linfática, que pode ocasionar elefantíase no local.

Os primeiros sintomas da doença aparecem entre sete e 30 dias após a exposição à bactéria. Nessa fase, surge uma ferida ou caroço muito pequeno na pele dos locais que estiveram em contato com o micro-organismo, podendo ser o pênis, a boca ou o ânus. Essa lesão dura, em média, de três a cinco dias, sendo passageira e dificilmente identificada.

Entre duas e seis semanas após a ferida, surge um inchaço doloroso nos gânglios da virilha. Quando esse inchaço não é tratado, ele pode piorar e formar feridas com saída de secreção purulenta, além de deformidade local.

Pode ocorrer ainda outros sintomas gerais, como dor nas articulações, febre, mal-estar, vômitos, dor de cabeça, falta de apetite, emagrecimento e suor noturno. Também pode haver úlceras no reto, sangramento, dor e corrimento, especialmente naqueles que realizam sexo anal.

Saiba Mais
Gonorreia masculina pode provocar infertilidade
Herpes: tipos, sintomas e cuidados
Sífilis: Conheça as causas e veja como enfrentar a doença

Como tratar e prevenir a doença

Ao perceber qualquer sinal de linfogranuloma venéreo, é recomendado procurar um médico especializado o quanto antes para que seja feito o diagnóstico correto e a indicação do tratamento adequado.

Para tratar o problema, geralmente é indicado o uso de medicamentos à base de antibióticos para combater as feridas. Entretanto, os remédios não revertem sequelas, como o estreitamento do reto e a elefantíase dos órgãos sexuais. Quando necessário, também é feita a aspiração do bubão inguinal.

Após o término do tratamento, que dura o tempo determinado pelo médico, o paciente deve fazer exames regulares para verificar se realmente está curado. Outra medida importante é que os parceiros do indivíduo infectado também sejam examinados e tratados.

Para prevenir a doença, é fundamental usar camisinha em todas as relações sexuais e cuidar da higiene íntima após a relação.

Os preservativos masculinos, quando usados corretamente e consistentemente, reduzem o risco de contrair o linfogranuloma. Porém, ulcerações podem aparecer em áreas não cobertas pelo preservativo. Por isso, é indicado manter relações com um parceiro que saiba não estar infectado.

Você já tinha ouvido falar nessa DST? Deixe seu comentário! E aproveite para conferir outras dicas de saúde aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
dst
clamídia
camisinha
sexo

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ