Homem

08/03/2015 08:32 - Atualizado em 05/12/2016 12:40

Cirurgia peniana corrige defeitos congênitos

Homens buscam soluções para problemas estéticos e congênitos com a cirurgia peniana.

POR

Redação

  • +A
  • -A

O pênis costuma preocupar os homens. Do tamanho à saúde, o “membro” está sempre rodeado de mitos. Porém, não é apenas a aparência física que incomoda. É por isso que existem vários tipos de cirurgia peniana para tratamentos estéticos e correção de problemas.

O mundo todo tem preocupação com o pênis. Segundo dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps), a Alemanha é o país que mais realiza cirurgia peniana, com 2.786 operações desse gênero. O Brasil ocupa a sétima posição do ranking, sendo que os brasileiros são os campeões em cirurgia plástica no planeta.

cirurgia peniana

Aumento do pênis leva a cirurgia peniana

Existem duas opções de cirurgia peniana com o objetivo de aumentar o órgão. A primeira busca alterar o comprimento e, a outra, o diâmetro.

Na cirurgia para aumento do comprimento, o médico faz uma abertura de 3cm na pele acima da pélvis e corta os ligamentos que prendem a base de dentro do pênis aos ossos da bacia. Dessa forma, o pênis se projeta cerca de 2cm para fora.

O problema dessa cirurgia peniana é que o paciente não deve fazer sexo por, pelo menos, um mês. Além disso, alguns efeitos colaterais podem aparecer, como a diminuição do ângulo de ereção e a retração do pênis, caso não haja uma boa cicatrização. Infecções e queloides são outros riscos.

Na cirurgia para aumento do diâmetro, o médico injeta em volta do membro placas de colágeno (derivadas de porcos), gordura (retirada do corpo do paciente) ou materiais sintéticos (gel feito com base de petróleo). Essas substâncias provocam a expansão do tecido entre a pele do pênis e a que envolve o interior do órgão.

Depois de 36 horas, já é possível voltar à atividade sexual. No entanto, é necessário utilizar um aparelho de fisioterapia composto por uma armação ao redor do pênis. Esse instrumento possibilita que o material enxertado se distribua pelo membro, sendo recomendado o uso por três meses.

Caso o órgão não absorva corretamente as substâncias injetadas, ele pode ficar fino novamente ou com deformidades.

Cirurgia peniana para problemas congênitos

A British Journal of Urology, revista britânica especializada em urologia, constatou que 10% dos homens no mundo possuem o pênis curvo. Esse tipo de problema congênito afeta a curvatura do membro e é mais recorrente que doenças como cálculo renal e diabetes.

O corpo cavernoso do pênis possui elasticidade menor em algum ponto, o que provoca o repuxamento. O problema pode ser congênito ou aparecer em função de alguma cicatriz.

Desenvolvida no Brasil, a cirurgia peniana para corrigir a curvatura faz um corte na membrada para eliminar a parte repuxada do pênis. Um enxerto é colocado no local em que a túnica é menor e permite que ele cresça de forma reta.

A técnica cirúrgica permite que o pênis se alongue do lado curto, ficando do mesmo tamanho que o lado longo, sem afetar no comprimento ou diâmetro. A recuperação costuma ser rápida e a cicatriz fica discreta.

Gostou das dicas de saúde? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
pênis
defeitos congênitos
aumento de pênis
cirurgia

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ