Especialidades

18/08/2014 09:28 - Atualizado em 14/11/2016 11:54

Tenha mais saúde mental conhecendo seu cérebro e sua mente

Neurologista explica de forma educativa a famosa frase “Mente sã, corpo são”. Leia e melhore o seu desempenho na vida pessoal e no trabalho.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Convido o leitor para um breve passeio anatômico e funcional pela mente humana que fica na parte indivisível da estrutura biológica mais complexa e fascinante que se tem conhecimento: o cérebro humano. Por ele é que começa nosso passeio para alcançar uma melhor saúde mental.  

Chegamos em uma massa gelatinosa com cerca de 1,5 Kg (2% do peso corporal). Dois hemisférios (direito e esquerdo, um pouco diferentes entre si), setorizados, organizados e conectados. Uma usina biológica sem descanso, sem folga, que recebe 25% do fluxo sanguíneo cardíaco do corpo e consome boa parte da energia e oxigênio que conseguimos no ambiente. Um órgão diferenciado e cheio de regalias da natureza: sistema imunológico personalizado, proteção óssea contínua e localização privilegiada. Uma estrutura biologicamente cara e sofisticada que apresenta baixo poder de regeneração, mas imenso poder de adaptação. O cérebro é dividido em 5 lobos, como na figura abaixo. Cada um deles está ligado a funções relacionadas na tabela a seguir.

Mas e os neurônios, o que são?

A unidade funcional cerebral são os neurônios, células altamente especializadas, capazes de gerar, receber e transmitir informações entes eles (comunicando-se através das famosas sinapses). E são bilhões destes no cérebro humano (cerca 100 bilhões), formando intermináveis redes, interligadas, dinâmicas, com fatores de amplificação e inibição, hierarquizadas e com franca plasticidade, viabilizando as incríveis habilidades funcionais cerebrais.

 

A mente é o software e o cérebro o hardware

Quando falamos de função, falamos da mente humana como um mega “software” instalado na nossa cabeça que gera com maestria a fascinante percepção de mundo, percepção de tempo (através da complexa noção de passado, presente e futuro) e percepção de self (de próprio, consciente, autor e dono desse aglomerado de células que compõe o organismo). Sabemos quem somos, aonde estamos e quando estamos. E a partir daí agimos, sentimos, buscamos, interagirmos, correndo atrás dos nossos objetivos individuais, com estratégia, emoção, sempre em busca de algo. Obviamente toda essa complexidade e evolução traz seus “bugs”, suas falhas e imperfeições, tornando o sistema sujeito a oscilação, para mais ou para menos.   

A mente humana, disposta no seu “hardware” (o cérebro humano), é repleta de soluções, conflitos e mecanismos de proteção.  Trabalha com um ciclo contínuo de percepção, transformação e ação. Percebe o mundo externo e interno através de seus sensores com sensibilidade variável (visão, audição, sensibilidade, equilíbrio, paladar e olfação). Confronta toda essa informação “online” com experiências prévias, expectativas e problemas vigentes.

Diante de experiências anteriores (memória) e percepção atual de mundo, o cérebro desenvolve sua reflexão e a tomada de decisão, para intervir em um futuro certo, mas ainda inexistente. Esse processo é extremamente complexo, gerenciado por aspectos intelectuais e emocionais. Raciocínio lógico, criatividade, teste de probabilidades, capacidade de projeção, grau de ansiedade, motivação, autoestima, enfim... um “sem número” de funções irá entrar em jogo no contínuo processo de escolhas, a base do livre arbítrio e do comprometimento mental instintivo. 

Nos meus próximos textos, entraremos nos detalhes cognitivos e emocionais que regem o comportamento humano, assim como suas falhas e oscilações. Agora, gostaria de encerrar este pequeno passeio introdutório com os mecanismos de ação, de intervenção do cérebro no corpo.

Como a atividade mental pode impactar o funcionamento do organismo?

O primeiro conceito importante é o da reciprocidade: o cérebro é parte indivisível do corpo, se o corpo vai mal, o cérebro vai mal, simples assim. O cérebro necessita de boa alimentação, atividade física, cessação de vícios, controle de doenças metabólicas e cardiovasculares, boa circulação, etc. Por isso, se você quer um cérebro melhor, invista na sua saúde global. Além disso ele precisa de boas vivências, complexas, construtivas, um bom contexto emocional, ambiental e um contínuo sistema de metas e expectativas.

O inverso é também verdadeiro, o cérebro é capaz de promover mais saúde ao corpo. Se você quer mais saúde e qualidade de vida, invista em um cérebro mais saudável, fechando o ciclo vicioso. Controle do sono, da ansiedade, gerenciamento do estresse, do tempo e busca pelo conforto mental. Esse link entre cérebro e corpo é feito por várias alças:

1. O cérebro coordena a secreção hormonal: através do hipotálamo, comanda a hipófise que por sua vez coordena a tireoide, as adrenais e a produção dos hormônios sexuais. Além dessa via, o cérebro pode regular diretamente os hormônios do estresse, como o cortisol e a adrenalina, pela ação do sistema autonômico (Simpático e Parassimpático).

2. O cérebro impacta o sistema imunológico: estados emocionais desfavoráveis alteram o funcionamento do sistema inume, favorecendo doença autoimunes e infecções. Isso ocorre de forma direta e indireta, já que o excesso de cortisol (hormônio do estresse) pode impactar o sistema imunológico.

3. O cérebro impacta o sistema cardiovascular:  a ação do sistema nervoso central pode alteração a pressão, a frequência cardíaca, o controle de doenças como diabetes e colesterol, a reduzir ou aumentar o risco de um evento grave como um infarto ou um acidente vascular cerebral.

4. O cérebro define a conduta: esse é o principal mecanismo de ação do cérebro na saúde humana e na busca de qualidade de vida. Sem um cérebro engajado, ninguém consegue nada. Não consegue mudar a alimentação, se exercitar, deixar um vício, dormir tranquilamente. O cérebro é quem ordena toda e qualquer ação muscular consciente. Quando estamos felizes e animados, melhoramos como um todo.

Como podemos perceber, a mente humana está envolvida em todos os parâmetros da saúde, seja na percepção do sofrimento, seja na transformação, amplificando ou atenuando o impacto na qualidade de vida. Uma boa saúde mental é o primeiro passo na prevenção, no controle e até mesmo na cura de boa parte dos males da humanidade.

TAGS
cérebro
mente
saúde mental
neurologia

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ