Especialidades

14/08/2015 06:00 - Atualizado em 25/10/2016 08:05

Seis hábitos saudáveis diminuem em 92% o risco cardíaco em mulheres

Não fumar, ter um IMC normal, praticar atividade física, assistir menos TV, consumir no máximo uma dose de álcool por dia e seguir uma dieta balanceada são os segredos para o bom funcionamento cardiovascular.

POR

Albert Einstein Hospital Israelita

  • +A
  • -A

A adoção de seis hábitos saudáveis reduziu em 92% o risco de mulheres sofrerem um ataque cardíaco, de acordo com o estudo Healthy Lifestyle in the Primordial Prevention of Cardiovascular Disease Among Young Women publicado no periódico científico Journal of the American College of Cardiology.

A pesquisa considerou como boas atitudes para o coração não fumar, ter um índice de massa corpórea (IMC) normal, praticar atividade física por pelo menos duas horas e meia semanais, assistir menos de sete horas de televisão por semana, consumir no máximo uma dose de álcool por dia e seguir uma dieta saudável.

Nenhuma novidade em relação aos hábitos saudáveis, segundo o pneumologista e clínico médico do Check-Up Einstein Gabriel F. Rozin. “Um ponto interessante, porém, do estudo é a análise do estilo de vida como risco para doenças cardiovasculares em mulheres jovens, de 27 a 44 anos. Nesta idade, o risco de doenças cardiovasculares, como infarto, é muito baixo. Tão baixo que muitas vezes os próprios médicos podem subestimar a importância dos bons hábitos de vida, imaginando que a mulher possa estar completamente protegida pelos efeitos positivos dos hormônios femininos.”

Saiba Mais
Alho aumenta a imunidade e a saúde do coração
Uva protege o coração e diminui chances de câncer
Teste do coraçãozinho pode salvar vidas

As participantes tinham em média 37 anos no início do estudo e foram acompanhadas por duas décadas. Neste período, a cada dois anos elas responderam um questionário sobre o seu estilo de vida. Da amostra, pouco mais de 70 mil pessoas, 456 sofreram um ataque cardíaco e outras 31.691 foram diagnosticadas com pelo menos um fator de risco para doenças cardiovasculares, como diabetes tipo 2 e hipertensão.

Tabagismo

O tabagismo é sabidamente um importante fator de risco cardiovascular. “No estudo, o hábito de fumar foi o principal fator de risco para doença coronariana”, afirma o cardiologista do Einstein Antonio Bacelar Filho. “Além disso, a pesquisa também confirmou que não existe uma quantidade segura de cigarros. Mesmo os pacientes que fumavam de 1-14 cigarros por dia tiveram maior incidência de infarto. Comparado aos fumantes, os não tabagistas tiveram um risco 70% menor de desenvolver doença coronariana.”

Especial Sem Cigarro e Com Saúde

IMC “normal”

O estudo demonstrou que a obesidade foi o principal fator de risco para o desenvolvimento de diabetes, hipertensão e colesterol elevado. O IMC ideal é considerado entre 18,5 e 24,9 Kg/m², porém também é importante considerar a distribuição e a porcentagem de gordura corporal, que está relacionada ao risco cardiovascular. “Podemos evitar o termo "baixo", pois baixo peso também é ruim. Pessoas com maior percentual de gordura mesmo com IMC considerado normal têm maior chance de ter distúrbios do metabolismo, como aumento do colesterol, triglicérides ou pré-diabetes”, explica o dr. Rozin.

Calcule agora o seu IMC

Atividade física

De acordo com a pesquisa, quanto maior o nível de atividade física, maior é a proteção cardiovascular. As duas horas e meia semanais recomendadas são equivalente a 30 minutos diários de exercícios. É importante ressaltar que não é necessário uma atividade física de alta performance. Uma caminhada ligeira é o suficiente para elevar o gasto metabólico, o suficiente para consumir as reservas de gordura do corpo, facilitando o controle do peso.

Especial Você Mais Saudável: Corpo

Menos TV

“Dos fatores de risco analisados, o único que não existe uma recomendação formal é assistir televisão. O benefício de assistir pouca TV provavelmente está relacionado à diminuição do sedentarismo”, diz o cardiologista do Einstein. Além disso, o tempo gasto em frente ao aparelho pode indicar também uma alimentação inadequada. “Pois é frequente o consumo de snacks, salgadinhos e doces no tempo em que está vendo TV”, diz o dr. Rozin.

Avalie como está seu Condicionamento Físico

Bebida alcóolica

O consumo de álcool considerado adequado para mulheres não grávidas foi uma média de 0,1 a 14,9 g de álcool por dia. Isso representa aproximadamente uma lata de cerveja, uma taça de vinho de 150 ml ou uma dose de destilado de aproximadamente 50 ml (uísque ou vodka).

Descubra agora se você bebe socialmente com teste rápido

Dieta saudável

O termo "dieta saudável" é bastante amplo e deve incluir todos os grupos alimentares - dentro do possível seguindo as proporções propostas pela pirâmide alimentar. Evite o excesso de gorduras saturadas (de fonte animal), frituras, doces e carboidratos refinados (farinha branca e todos os seus derivados, batata, arroz e açúcar refinado). Os períodos de alimentação também são importantes, sendo ideal alimentar-se a cada três ou quatro horas, o que equivale a cinco refeições diárias.​

Especial Você Mais Saudável: Alimentação

Albert Einstein

Sociedade Beneficente Israelita Brasileira

TAGS
risco cardíaco
dia do cardiologista
como cuidar do coração

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ