Especialidades

20/01/2015 01:29 - Atualizado em 27/11/2016 08:23

Saiba o que o terapeuta ocupacional pode fazer pela sua saúde

Terapeuta ocupacional ajuda pacientes a recuperar a capacidade motora perdida.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Se há algum tempo a terapia ocupacional era vista como uma modalidade alternativa à fisioterapia para quem possuísse dificuldades de movimento, hoje ela é reconhecida como área da saúde. O trabalho do terapeuta ocupacional é de extrema importância para as pessoas que, de uma hora para outra, perdem a capacidade de realizar atividades que eram comuns em seu cotidiano.

terapeuta ocupacional

Especialidades do terapeuta ocupacional

O terapeuta ocupacional é um profissional que precisa se preocupar com o ser humano como um todo. Em sua formação, ele aprende a compreender que o tratamento de reabilitação deve levar em conta os aspectos físicos, emocionais e espirituais de cada paciente. A forma como a pessoa se relaciona com suas limitações e o quanto acredita na própria recuperação são fundamentais no tratamento.

As funções dessa profissão estão completamente voltada para a vida do ser humano. O objetivo do profissional é organizar o cotidiano do paciente, criando uma rotina de novos hábitos e de adaptação a novas condições. A paciência é uma virtude que precisa fazer parte da personalidade do terapeuta ocupacional. Nem sempre os resultados são tão rápidos e eficazes quanto se desejaria.

Além disso, o terapeuta precisa estar preparado para enfrentar e conviver em diferentes ambientes. Fabiana Coelho, terapeuta ocupacional, explica que a profissão é muito generalista, ou seja, não há um tipo especifico de paciente. “Atuamos em clínicas, asilos, hospitais, escolas, instituições psiquiátricas, geriátricas e penais, centros de saúde, de convivência e empresas”, relata a terapeuta.

Terapeuta ocupacional: Tipos de terapia

Como a terapia ocupacional é uma área muito ampla, cada tipo específico de caso que pode ser tratado possui uma categoria diferente. Cada situação específica demanda um tipo de cuidado diferente e, por isso, é preciso definir os objetivos do tratamento, as limitações do paciente e os limites do próprio profissional antes de se começar a agir.

A terapia de desempenho ocupacional, por exemplo, tem o objetivo de ajudar as pessoas a desenvolverem papéis ocupacionais de forma satisfatória. Por papéis ocupacionais, entendem-se todas as funções que elas desenvolvam em suas vidas, sejam estudantes, profissionais, donos de casa, filhos, pais ou mães. A ação psicológica é muito forte nesse tipo de terapia.

Quando o caso é de reabilitação, o terapeuta ocupacional precisa mudar o foco da ação. Nessa situação, a ideia é fazer com que o paciente volte a desempenhar funções que conseguia realizar antes de um acontecimento específico, seja ele uma doença ou um acidente. É um caso de readaptação e só acontece quando a pessoa tratada tem chances de retornar às condições anteriores se estimulada.

Esse tipo de terapia é diferente do modelo biomecânico, por exemplo, que não busca fazer com que o paciente retorne às condições anteriores. O objetivo desse modelo é permitir que a pessoa consiga realizar suas atividades rotineiras, dentro das limitações e incapacidades que possui na nova condição. O objetivo é adaptar o paciente para a nova situação em que vive.

Já a terapia ocupacional infantil, área em que Fabiana Coelho é especialista, procura ensinar a criança a realizar atividades que ela não consegue desempenhar. “É muito mais fácil habilitar uma criança do que reabilitar um adulto. Elas são mais receptivas, sendo mais fácil de intervir junto às mesmas”, diz a terapeuta. Nessa área, é importante ter conhecimento das capacidades de cada fase da infância.

E aí, aprendeu um pouco mais sobre o trabalho do terapeuta ocupacional? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
terapia
reabilitação
corpo
cotidiano

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ