Especialidades

26/01/2015 10:28 - Atualizado em 18/11/2016 10:51

Saiba como e quando fazer o teste de daltonismo

Teste de daltonismo é importante para oferecer diagnóstico a pessoas com dificuldade de diferenciar cores.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Você tem dificuldade em identificar cores e por vezes se confunde, em especial entre o verde e o vermelho? Já foi alvo de brincadeiras por isso? Talvez você esteja precisando de um teste de daltonismo. A anomalia pode ser facilmente detectada e é importante que o tratamento aconteça, visando o bem-estar do paciente.

O daltonismo foi descoberto pelo químico inglês John Dalton, que classificou o problema como dificuldade para diferenciar certos tons. O problema é visto mais em homens do que mulheres e pode ser diagnosticado já na infância.

teste de daltonismo

Entenda o que é o daltonismo

O daltonismo é uma anomalia ligada ao cromossomo X, causa a incapacidade de enxergar determinadas cores e se divide três tipos.

No primeiro deles, os indivíduos não enxergam diferenças entre a cor púrpura e vermelha. O segundo é aquele no qual o vermelho é enxergado como se fosse verde. Já no terceiro tipo, os daltônicos não identificam diferenças entre vermelho e verde, enxergando apenas o tom marrom.

O olho humano identifica as cores através dos pigmentos, ou proteínas, que são sensíveis à luz e vistas nas células do nosso olho. Em cada uma das células, podemos encontrar um tipo de pigmento, ativado pelos tons de cores (vermelha, verde e azul). Nos daltônicos, essas células são alteradas e não conseguem idenficar as diferenças entre as cores.

O portador da anomalia pode ter maior dificuldade para diferenciar as cores e variados tons do que uma pessoa com as células normais. Por ser uma doença com alguns sintomas leves, alguns pacientes podem descobrir que são protadores somente ao longo da vida. Na maioria dos casos, contudo, a anomalia é percebida quando a criança não consegue diferenciar as cores.

Como funciona o teste de daltonismo

O teste de daltonismo de Ishihara foi criado pelo doutor Shinobu Ishihara, professor da Universidade de Tóquio. Através desse teste, o possível portador da anomalia recebe alguns cartões coloridos, onde círculos com números (apenas visíveis por quem não tem daltonismo) estão no meio do cartão.

Ao longo do teste de daltonismo, o paciente pode identificar 32 placas. O número de acertos é analisado para identificar qual é o tipo de daltonismo do acometido. Se você estiver desconfiado, faça o teste abaixo para ter um diagnóstico preliminar. Não deixe de buscar ajuda especializada.

teste de daltonismo

A eletrorretinografia é um outro tipo de teste de daltonismo. Esse procedimento analisa como a retina funciona através dos estímulos luminosos feitos. Por ser um teste mais completo, a eletrorretinografia deve ser feita com seu oftalmologista. Procure o especialista e veja se ele pode realizar o teste de identificação do daltonismo.

Tratamento a partir do teste de daltonismo

Caso o distúrbio seja confirmado, você terá que conviver com ele, pois a anomalia não tem cura. Para melhorar os sintomas do problema, podem ser indicados óculos com lentes especiais, onde os pacientes conseguem identificar com mais facilidade as diferenças entre as cores.

Para contar com a certeza da existência do distúrbio, o teste de daltonismo deve ser feito com um oftamologista. Marque uma consulta e converse com ele sobre o que você sente ao tentar identificar cores. É possível conviver com a anomalia de forma saudável. Se não tratado, o daltonismo pode trazer prejuízos à vida pessoal e profissional.

Que tal seguir as dicas e cuidar da saúde dos seus olhos? Então deixe um comentário! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook para ficar ligado em todas as novidades do Vivo Mais Saudável.

TAGS
saúde
saúde dos olhos
deficiência visual
daltonismo

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ