Especialidades

12/01/2016 01:12 - Atualizado em 18/11/2016 05:16

Problemas na retina podem ter ligação com microcefalia

Estudo recente realizado no Recife indica que a microcefalia associada ao zika vírus pode causar problemas na formação dos olhos.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Além de provocar a má formação do cérebro, a microcefalia também pode causar alterações no nervo ótico e na retina. Isso é o que aponta um estudo realizado no Recife, cidade com o maior número de registros da síndrome no país. Segundo a pesquisa, 40% dos casos de microcefalia relacionada ao zika vírus tiveram problemas anatômicos na formação dos olhos.

Mais de 3 mil bebês com microcefalia foram registrados no Brasil em 2015, com predominância na região Nordeste. Em 2014, foram notificados apenas 147 casos da anomalia. A epidemia é resultado da propagação do zika vírus, transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.

bebê com microcefalia e problemas na retina

Alterações na retina e a microcefalia

Uma pesquisa da Fundação Altino Ventura, de Recife-PE, apontou que bebês que nascem com microcefalia podem ter a visão seriamente prejudicada. Como a anomalia compromete a estrutura cerebral neurológica, pode acabar atingindo também o nervo ótico e as camadas da retina.

Um total de 79 bebês com suspeita de terem microcefalia associada ao zika vírus foram examinados desde dezembro. A partir dos exames concluídos, a metade teve a ligação com o zika confirmada e, entres esses, 40% apresentaram alterações no nervo ótico e na retina.

Além disso, o estudo mostrou também que os filhos das mulheres que tiveram o zika vírus logo no início da gestação tendem a apresentar problemas de visão mais graves.

De acordo com os pesquisadores, as duas alterações mais comuns encontradas são a atrofia da retina, que parece uma espécie de cicatriz, e a alteração pigmentar, que consiste em manchas na região.

Essa complicação ainda não era conhecida e, segundo o estudo, a gravidade das lesões indica que elas podem comprometer seriamente a visão, causando uma perda bastante significativa em alguns pacientes.

Os bebês ainda passarão por uma série de exames funcionais para avaliar qual é o grau de comprometimento da visão de cada um. Além disso, os especialistas também buscam saber quais são as outras alterações que a microcefalia associada ao zika vírus provocou nesses pacientes.

Saiba Mais
Veja como é o desenvolvimento do feto a cada mês da gestação
Astigmatismo: Conheça as causas, sintomas e como tratar o problema de visão
Dengue na gravidez pode infectar o bebê

Outras consequências da microcefalia

Até o dia 2 de janeiro, data do último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, 3.174 casos já foram registrados em todo o país. Pernambuco lidera o ranking entre os estados atingidos, com 1.185 casos da malformação, seguido por Paraíba (504), Bahia (312) e Rio Grande do Norte (169). Ao todo, 21 estados já registraram casos da anomalia.

A principal consequência da microcefalia é o atraso no desenvolvimento neurológico, psíquico ou motor, sequelas apresentadas em 90% dos casos. O tipo e o grau das complicações variam de acordo com cada caso. Em algumas situações, a inteligência da criança não é afetada, mas déficit cognitivo e epilepsia são alguns problemas que podem surgir.

O que você achou da notícia? Deixe um comentário! E aproveite para conferir as dicas de saúde e bem-estar do Vivo Mais Saudável.

TAGS
zika vírus
malformação
visão
bebês

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ