Especialidades

18/04/2015 12:44 - Atualizado em 02/12/2016 03:33

Hemograma: Saiba quando e por que fazer o seu

Exame de sangue serve para indicar doenças como anemia e leucemia.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Mais que apenas um exame de sangue, o hemograma aponta características sanguíneas bem específicas. Ele serve, principalmente, para verificar a presença dos leucócitos, das plaquetas e das hemácias. Essas células são as principais constituintes do sangue e, quando em falta ou excesso, podem indicar doenças.

Amostras sanguíneas são coletadas para os mais diversos fins. Em geral, elas são retiradas para verificar proteínas, eletrólitos, hormônios, anticorpos, bactérias, vírus e drogas.

Nessa análise, como nos demais exames, o objetivo é verificar a presença das células para diagnosticar anemia, infecções bacterianas, falhas no sistema imunológico, câncer, leucemia, entre outras doenças. Saiba o que você vai descobrir em seu hemograma.

hemograma

O que o hemograma identifica?

De acordo com a quantidade de células sanguíneas presentes no hemograma, estabelece-se o diagnóstico de alguns problemas. O exame é capaz de contabilizar as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas. Todas essas substâncias são produzidas na medula óssea.

A análise da amostra de sangue é feita em partes, sendo a primeira delas o eritograma, que estuda as hemácias, as hemoglobinas e os hematócritos. Quando abaixo do valor de referência, eles podem indicar anemia e, quando acima, policitemia.

O hematócrito mostra o percentual de hemácias no sangue, enquanto a hemoglobina é responsável pelo transporte de oxigênio e se encontra dentro das hemácias.

Na segunda parte da análise, é mostrado o leucograma, uma avaliação dos leucócitos. Conhecidos como glóbulos brancos, eles são responsáveis pelo sistema imunológico. Existem cinco variações dessas células: os neutrófilos, os linfócitos, os monócitos, os eosinófilos e os basófilos.

Cada leucócito tem sua função específica, portanto sua falta ou excesso implica em quadros infecciosos por bactéria, fases terminais de uma doença, desenvolvimento de tumores, leucemia, infecções virais, imunossupressão, Aids, tuberculose, reações alérgicas, asma e infecções no intestino por parasita.

A última parte do hemograma é o estudo das plaquetas, principais responsáveis pela coagulação. Elas têm sua produção aumentada quando passamos por uma lesão, sendo enviadas para o local a fim de conter o sangramento. Antes de qualquer cirurgia, deve ser feito o exame para verificar a dosagem das plaquetas, a fim de evitar hemorragias.

Como é feito o hemograma?

O hemograma é realizado como qualquer outro exame de sangue. Uma agulha é colocada na veia e a amostra é coletada. Não é necessário jejuar ou realizar algum preparo alimentar. Os médicos recomendam apenas não realizar nenhum exercício físico um dia antes, bem como não ingerir bebidas alcoólicas nos dois dias que antecedam o exame.

Esse diagnóstico é o mais completo para as células sanguíneas. No momento da realização, informe o médico sobre os medicamentos que esteja tomando e, se for mulher, se está grávida ou menstruando no momento. Esses fatores podem interferir no resultado. Os valores de referência para cada análise variam por laboratório, então verifique quando retirar o exame.

Qualquer agressão à medula óssea pode provocar alterações na produção das células do sangue. Por isso, medicamentos, infecções ou doenças prejudicam o funcionamento medularRealizar periodicamente os exames de rotina permite que você acompanhe o estado de sua saúde e garanta uma vida mais saudável.

Quando foi seu último check-up? Deixe um comentário! E não esqueça de continuar ligado no Vivo Mais Saudável para conferir nossas novidades de saúde.

TAGS
exame de sangue
leucócitos
hemácias
doenças sanguíneas

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ