Especialidades

09/07/2015 08:13 - Atualizado em 10/12/2016 12:03

Helioterapia usa o sol para curar doenças

A exposição diária e controlada ao sol pode melhorar o humor, a pele e até mesmo sintomas de patologias do cérebro.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Adotada desde a Antiguidade pelos gregos, a helioterapia, ou a terapia do sol, é uma opção de tratamento alternativo. Como o nome indica, os raios solares são os principais agentes desse método.

Radiação ultravioleta, raios infravermelhos e luz visível são utilizados no tratamento de enfermidadesEntenda a seguir como o método funciona e como você pode se beneficiar dele.

helioterapia

Como funciona a helioterapia

A radiação ultravioleta (UV) estimula a produção de vitamina D pelo organismo, o que favorece a absorção de cálcio e fortalecimento dos ossos e do sistema imunológico. Enquanto isso, a radiação infravermelha (IV) estimula o fluxo sanguíneo na superfície do corpo.

Os primeiros raios solares da manhã são essenciais em pequenas doses, que podem variar entre 15 e 20 minutos de exposição sem filtro solar. Quem possui a pele muito clara ou mais sensível não deve ultrapassar os dez minutos diários.

Segundo a Dra. Margarida Maria Murbach Carneiro, médica da Sociedade Brasileira de Dermatologia, os benefícios da helioterapia são diversos. "Pode ser utilizada no tratamento da psoríase, do vitiligo e da dermatite atópica, mostrando resultados efetivos em grande parte dos casos", explica.

A médica credita os bons resultados aos efeitos imunossupressor e anti-inflamatório da técnica, que também estimula a produção de vitamina D. A doutora difere, ainda, a helioterapia da fototerapia. Essa última utiliza somente a radiação ultravioleta, de forma artificial.

A vitamina D, além de aumentar a fixação de cálcio nos ossos, também tem papel protetor contra alguns tipos de câncer e pode colaborar na diminuição dos sintomas da esclerose múltipla

Uma pesquisa publicada na revista Câncer Epidemiology Biomarkers and Prevention mostrou que a exposição ao sol reduziu o risco de câncer de mama em mulheres em fase de menopausa. Segundo o estudo, as voluntárias que moravam em lugares ensolarados possuíam 50% menos risco de apresentar câncer de mama em comparação àquelas de regiões mais nubladas.

Cuidados da helioterapia

A dermatologista aponta que a helioterapia deve ser realizada com curtas exposições solares, de forma a evitar a queimadura solar. "O tempo seguro dessa exposição varia conforme a cor da pele, sendo essa terapia contraindicada a pessoas com antecedentes pessoais de câncer da pele ou doenças de fotossensibilidade, como o lúpus, por exemplo", indica.

Há um alerta para que a exposição ao sol na helioterapia seja feita de forma moderada. O excesso de radiação solar pode provocar doenças como câncer de pele, envelhecimento precoce e inflamações da córnea. Além disso, as células da pele têm memória, o que significa que os danos ao organismo são cumulativos.

O sol que você pega no dia a dia deve ser suficiente para evitar a carência de vitamina D no organismo. Entretanto, para garantir os benefícios da helioterapia, você deve se expor no início da manhã, antes das 10h, e no fim da tarde, após as 16h.

Gostou das dicas de saúde? Conte para nós! E aproveite para conferir mais novidades para seu bem-estar aqui no Vivo Mais Saudável.

TAGS
dermatite
banho de sol
psoríase
vitiligo

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ