Especialidades

14/01/2016 11:46 - Atualizado em 15/03/2016 09:13

Governo russo anuncia vacinas contra o ebola

Além de neutralizar o vírus em 100%, um dos medicamentos foi criado especialmente para portadores do HIV.

POR

Redação

  • +A
  • -A

Depois de o mundo viver uma situação de pânico devido à epidemia do ebola, a cura parece estar mais próxima. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou que o país registrou duas vacinas contra o vírus.

Até o momento, só havia vacinas experimentais, que ainda estavam em fase de testes. Segundo o governo russo, já existem pedidos do medicamento para as zonas de risco.

ebola quarentena

Vacina contra o ebola

O anúncio foi feito por Putin durante um conselho de ministros em Moscou. "Temos uma boa notícia. Registramos uma cura contra a febre ebola que (...) se revelou muito eficaz, mais eficaz até mesmo que os tratamentos usados até agora em todo o mundo", declarou.

Uma das vacinas patenteadas pelo país foi formulada especificamente para pessoas com o vírus HIV. Esse tipo visa a multiplicar por 35 a imunidade celular. Já a outra permite neutralizar em 100% o vírus ebola. Segundo a ministra da saúde da Rússia, Veronika Skvortsova, é um medicamento único, "sem nada parecido em qualquer outro lugar".

A ministra revelou, ainda, que a Guiné, um dos locais mais acometidos pela epidemia, já encomendou as vacinas russas para o próximo mês. Ela também garantiu que a Rússia já está preparada para atender essas demandas.

A primeira notícia de possíveis vacinas contra a doença foi dada em outubro de 2014 pelo governo russo, mas elas ainda precisavam ser testadas.

Saiba Mais
Descubra quando uma doença pode virar pandemia
Os cachorros podem transmitir o ebola? Entenda os riscos
Ebola: conheça vírus e bactérias que causaram epidemias

Situação do ebola no mundo

A declaração de Putin foi feita pouco antes de a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciar o fim da epidemia de ebola no oeste da África. A Libéria era o último país que não havia erradicado o vírus e, felizmente, está sem novos casos há 42 dias.

"Hoje, a OMS declara o fim da epidemia na Libéria e afirma que todas as cadeias conhecidas de transmissão na África Ocidental cessaram", divulgou a entidade.

A última epidemia começou em dezembro de 2013 e atingiu dez países, entre eles Guiné, Libéria, Serra Leoa, Nigéria e Mali. Segundo números da OMS, foram mais de 11 mil vítimas fatais e cerca de 28 mil casos registrados. Este foi o surto mais letal desde a identificação do ebola, há 40 anos.

A entidade afirma, ainda, que, apesar da boa notícia, é importante manter-se atento aos focos isolados da doença. O tempo de incubação do vírus ebola é de 21 dias e a recomendação da OMS é aguardar o dobro do tempo para garantir que o paciente isolado não tenha infectado outras pessoas.

Outras vacinas também continuam sendo testadas, como a VSV-EBOV, desenvolvida pela Agência de Saúde Pública do Canadá. Os medicamentos são um grande passo para a ciência, trazendo não só alívio para aqueles que vivem em zonas de risco, mas, também, mais proteção para a população mundial.

O que você achou da notícia? Deixe um comentário! E aproveite para acompanhar as dicas de saúde e bem-estar do Vivo Mais Saudável.

TAGS
epidemia
África
vírus
cura do ebola

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ