Especialidades

13/07/2015 04:14 - Atualizado em 12/11/2016 09:25

Entenda por que a gordura trans será banida dos Estados Unidos

Ingestão de gordura trans está associada ao aumento de colesterol e faz mal ao coração.

POR

Redação

  • +A
  • -A

A US Food and Drug Administration (FDA), agência responsável pela regulação de alimentos e medicamentos nos Estados Unidos, baniu a gordura trans do país em junho deste ano. As empresas americanas terão um prazo de três anos para se adequar à nova medida e retirá-la de seus produtos.

Estudos indicam que a gordura trans causa aumento dos níveis de LDL-colesterol (colesterol ruim) e redução do HDL-colesterol (colesterol bom), o que aumenta as chances de desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

gordura trans

O que é a gordura trans

A nutricionista e gastrônoma Barbara Gerbasi Ortolani explica que a gordura trans é formada por um processo de hidrogenação natural no rúmen de animais ou por processo industrial, no qual ocorre a hidrogenação de óleos.

Esse é um processo muito utilizado pela indústria para trabalhar a consistência dos produtos alimentícios. Além disso, a gordura pode aumentar o sabor e o tempo de conservação dos produtos.

Alimentos de origem animal como as carnes, possuem pequenas quantidades desse tipo de gordura, pelo processo natural ocorrido em animais ruminantes. “Já em alimentos industrializados, podemos encontrar em sorvetes, batatas fritas, bolachas, margarinas, bolos, pipocas de microondas, massas folhadas, ou outro alimento que possua gordura hidrogenada ou parcialmente hidrogenada em sua composição”, alerta.

Recentemente, indo ao encontro às exigências do consumidor e com a maior preocupação global com alimentação saudável, a indústria tem reduzido (ou até zerado) a utilização deste tipo de ingrediente em seus produtos. “Sempre vale estar atento aos rótulos e listas de ingredientes”, orienta Barbara.

Após a decisão da proibição da gordura trans nos Estados Unidos, o Ministério da Saúde do Brasil informou que estuda novas estratégias para reduzir esse tipo de gordura. No entanto, ainda não há previsão para as novas medidas.

Vale lembrar que, desde 2008, o órgão firmou parceria com empresas alimentícias, com a meta de diminuir a gordura trans a valores de até 5% em alimentos processados e até 2% do total de gorduras em óleos e margarinas. Em 2010, uma avaliação apurou que 93,4% dos objetivos foram alcançados.

Além disso, desde 2006, existe uma norma que obriga todos os fabricantes a especificar nas embalagens as quantidades de gordura trans contidas no alimento.

O consumo saudável da gordura trans

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o consumo destas gorduras não deve ultrapassar 1% do total de energia consumida diariamente, o que representaria 2g de gordura trans em uma dieta de 2000 kcal. “Mas isso não significa que esta quantidade seja recomendada. A ‘regra’ é quanto menos, melhor”, afirma Barbara.

Para garantir uma alimentação balanceada e nutritiva prefira alimentos in natura, como frutas, verduras, legumes e carnes não processadas. Reduza o consumo de produtos ultraprocessados e prepare as refeições em casa, pois dessa forma é possível acompanhar de perto o que você está ingerindo. “Além disso, observe a lista de ingredientes dos produtos e evite-os caso possuam qualquer tipo de gordura hidrogenada ou parcialmente hidrogenada”, acrescenta a nutricionista.

Optar por uma alimentação saudável, rica em nutrientes importantes para o bom funcionamento do organismo é fundamental para um corpo mais forte e protegido. Procure eliminar esse tipo de gordura do seu cardápio e aproveite os benefícios.

Gostou das dicas? Deixe um comentário! E mantenha-se por dentro das novidades sobre saúde e alimentação que encontra no Vivo Mais Saudável.

TAGS
alimentação saudável
colesterol
doenças cardíacas
nutrição

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

SERVIÇOS PARA VOCÊ